30.1.18

REALIZEI MEU TESÃO: “PEGUEI” MINHA AMIGA!

Há algum tempo, numa festinha de despedida de solteira, rolou a brincadeira do jogo da verdade… Todas bêbadas, uma das meninas deixou claro que adoraria “me pegar”! No início fiquei assustada, mas, despertou em mim a curiosidade de ficar com uma mulher.
Depois disso, mantive contato com minha amiga e resolvemos “apresentar e colar” as bucetas. Fizemos nossa primeira farrinha na casa dela. Aproveitamos que o marido estava viajando e… Foi simplesmente maravilhoso! Ficamos outras vezes juntas, com os maridos assistindo, mas sem troca de casais. Primeiro a “festinha” era entre nós duas e depois com eles participando. Minha amiga mudou-se de São Paulo. Continuei casada, mas sempre querendo transar com outra mulher.
Convenci meu marido a frequentarmos uma casa de swing… Amei! É uma putaria do caralho! Mas o que procurava ali era encontrar uma gata pra matar a minha vontade de ser chupada novamente. Entrei no grupo de watsapp do clube, coloquei uma foto da minha bunda com uma calcinha minúscula… Isso foi suficiente pra muitos elogios e casais nos convidarem pra sair.
Os comentários de um casal (Carlos e Fran) nas minhas fotos chamou atenção:
– Olha amor! O que acha dessa bunda gostosa?
Fran rapidinho responde:
– Nossa, quero ela para mim! É o meu número.
Eu lendo aquilo logo fiquei sem respirar e a minha PPK acordou!
Logo Fran me chamou no “privado”. Fez algumas perguntas do tipo como você é? Respondi: – Sou morena, cintura fina, bundão (você já viu), seios médios durinhos, cabelos cacheados.
Não passou muito tempo estávamos trocando nudes… Fran me deixou com muito tesão. Ela queria muito me chupar e me “comer” gostoso. Combinamos ir ao swing para nos conhecermos pessoalmente.
Dia marcado fomos ao clube. Em momento algum falei pra ele que eu tinha conhecido a Fran… Como ele vive me cobrando realizarmos essa fantasia, sempre me disse que queria muito ver uma mulher “me pegando” eu achei que seria uma surpresa maravilhosa pra ele.
Para entrar no clube nesta noite a regra era: Se a mulher tirasse a calcinha na entrada o casal não pagaria… Eu vestia uma saia de couro vermelha bem curtinha, um coletinho com um sutiã preto todo transparente. Tirar a calcinha bem pequenininha na portaria foi bem fácil! Tirei e chacoalhei no ar com a cara mais sacana possível! Meu marido não acreditou no que estava vendo!
Entramos nos sentamos no canto da pista no escurinho porque gosto de chupar o pau dele até deixa-lo em ponto de bala… Não demorou muito o casal Carlos e Fran chegou. Ela uma mulher ruiva, magrinha, mas de bunda grande, boca pequeninha, cheirosa… Toda certinha… Eu do lado dela sou um mulherão. O marido dela um negão de 1,90 de altura! Olhamo-nos, minha PPK logo começou a ficar molhadinha… O marido dela já sabia de tudo menos o meu.
Tudo certinho, eu sem calcinha, ele de pau duro, escurinho, mas, para meu desgosto e tristeza da minha PPK meu marido não topou ficarmos os quatro juntos. Terminei a noite assistindo a Fran pegar outra mulher, fez com a outra tudo aquilo que ela disse que faria comigo. Minha raiva foi muita! Muito puta, briguei com meu marido e fomos embora.
Passado alguns dias voltei a conversar com a Fran… Ela também tinha ficado frustrada com o acontecido, mas, nosso tesão em ficarmos juntas era grande e precisávamos matar nossa vontade… Combinamos de sair, marcamos um dia, local e hora e todos os detalhes para fazer acontecer o que queríamos muito.
Encontramos-nos! Ela foi com o Carlos e eu sozinha (nem comentei com meu marido). Fomos direto para o motel. Bebemos, conversamos, rimos. Eu muito nervosa, ansiosa e eles bem tranquilos, colocamos um filminho pornô na teve (sem volume). Carlos nos deixou a vontade e foi para a sauna. Fran começou me beijando na boca, pescoço… Me puxando pelo cabelo. Tirou minha roupa, minha blusa e meu sutiã… Fran não perdeu tempo abocanhou meus bicos durinhos… Começou mamar bem gostoso, usava as mãos, a boca, os dentes, tudo que ela podia pra matar a sede que sentia… Minha vontade era de enfiar ela inteira dentro de mim! Deitei na cama e Fran foi passando a mão devagar entre as minhas pernas… Minha buceta dava “saltos triplos”, minhas pernas tremiam. Ela beijou meu corpo desde os pés até minha bucetinha. Fran passou a língua devagar, saboreando, lambendo, chupando, sugando, eu estava ensopada já gozando na boca dela. Ela colocou um dedinho, foi fazendo movimentos na minha bocetinha e eu me derretendo… Gozei muito! Fran me admirava e me chupava ainda mais! Depois que gozei foi a minha vez. Fiz com a minha amiga ruivinha tudo aquilo que ela fez comigo… Ela também gozou sentindo minha boca carnuda na buceta gulosa dela.
Carlos saiu da sauna e ficou ao nosso lado segurando, olhando e batendo uma punheta. O pau dele (uma rola enorme) estava duro, pulsando, latejando, louco pra entrar em nossas bucetas.
Chamamos ele pra nossa festa… Enquanto Fran chupava minha buceta, Carlos meus peitos… Em poucos segundos eu já tinha gozado de novo! Trocamos de posição. Enquanto eu chupava a buceta da ruivinha gostosa, sentia a enorme rola do Carlos arrombando minha PPK, dolorida de tanto ser chupada. Aquele caralho bem duro me fodia forte. Eu, Fran e Carlos metemos de todas as maneiras! No final ele nos colocou sentadinhas, com a língua pra fora, esperando a porra quentinha do pauzão encher nossas bocas!
Foi maravilhoso! A melhor tarde da minha vida… Com gosto de quero mais!

22.1.18

SUA HOTWIFE SE EXIBE NA PRAIA?

Ver uma hotwife se exibindo na praia é sempre um tesão. Para quem assiste e para o cuckold que curte a infidelidade consentida e lhe causa muita excitação.
Vamos à ação. A escolha da praia é importante. Nada de praia deserta ou de nudismo. Se for para exibir sua hotwife encontre uma praia com alguma privacidade. Muita exposição, cheia de famílias e crianças, pode dar confusão.
Escolhida a praia e com sua esposa pronta, usando um micro biquíni, a brincadeira vai começar.
Toda vez que chega uma mulher gostosa na praia a galera fica na expectativa da gata tirar o shortinho apertado. É a hora da verdade. O short vai descendo e a sua putinha vai revelando o rabo socado num biquíni fio dental minúsculo, a torcida comemora!
Detalhe importante: A forma como se tira o short. É brochante ver sua gostosa tirando o shortinho sentada. Hotwife que se preza tira em pé e sem dobrar os joelhos.
Outra forma de provoca é ajeitar a canga que vive cheia de areia. A melhor forma para ajeitar é de quatro e de preferência empinada a bundinha.
No mar, a onda bateu no biquíni e tira-o do lugar, ele mexeu quando sua esposa mergulha, enfim… O bico do peito pode escapar várias vezes do biquíni.
Todo mundo tira foto na praia. A diferença é que a sua mulher tira e provoca ao mesmo tempo. Nada de poses tradicionais, sentada na cadeira segurando uma caipirinha. Brinca de modelo, faz umas poses sensuais. Toda hotwife sonha em fazer um ensaio na praia, chegou à vez da sua!
Para finalizar o topless escancarado. Claro que é gostoso de ver, mas o ideal é o topless regulado, aos poucos, quando ela desamarra o biquíni de bruços revelando os peitinhos em determinados ângulos, fazendo a galera esticar a cabeça procurando a melhor posição. De tempos em tempos ela se vira para pegar algo na bolsa… Depois de tanto lutar para ver os peitos à hora que ela escancara é uma delícia.
Hotwife experiente mostra os peitos e o cuzinho na mesma pose!
A mulher de um cuckold tem postura e sabe se portar na praia – não só pode como deve tomar sol de perna aberta, de preferência na direção daquele grupinho de rapazes. Ver sua hotwife se oferecendo a outros homens na praia e, quem sabe, até arrumar um novo comedor, não tem preço!

15.1.18

REALIZEI A FANTASIA DO MEU MARIDO - SER CORNEADO!

Sexo aqui em casa não é lá grande coisa, é escasso, mesmo porque, o “véio” tem dificuldade de manter o pau duro. De uns tempos para cá meu marido apareceu com uma novidade estranha: Pede para eu ter outro homem. No início achei que fosse brincadeira, mas ele confessou que era um fetiche, um tesão.
Relutei muito, pois, mesmo tendo vontade, não achava certo. Meu marido sempre insistindo em realizarmos a sua fantasia, até que um dia ele vendou meus olhos e me comeu como se fosse outro homem. Eu gostei da brincadeira. Senti que o pau dele ficou durinho! Para apimentar mais ainda troquei o nome dele, chamava-o de outro qualquer. Gozavamos muito!
Fizemos esse jogo varias vezes até que, numa noite, ele vendou meus olhos, me colocou de quatro, apagou a luz e, quando senti o pau me penetrando, percebi que não era o dele, era mais grosso, mais rijo e fodia forte. Fiz-me de boba e deixei o desconhecido me comer. Sentia a respiração ofegante do meu marido ao meu lado e percebi que ele se masturbava vendo o cara me foder. O comedor era muito gostoso, metia forte, fundo, e me dava tapas na bunda… Estava adorando sentir ele me comer.
A curiosidade tomou conta de mim. Arranquei a venda e quase morri de susto e vergonha quando vi quem era o comedor: O filho da vizinha de 22 aninhos. Fiquei furiosa e xinguei meu esposo. O moleque colocou a roupa e saiu de fininho sem falar nada.
Ao acordar no dia seguinte, meu marido já tinha saído para trabalhar, tomei banho e fui ao mercado. Aquele garoto lindão não saia de minha cabeça, pois ele me fez gozar muito, como nunca tinha acontecido.
Resolvi procura-lo, pois ainda estava com vergonha por ter sido tão estupida com ele. Fui com a desculpa de pedir ajuda para arrastar um móvel e não ter forças. Minha vizinha atendeu, mandou-me entrar. Encontrei o garotão de banho tomado e de saída para procurar emprego. Antes que ele saísse perguntei se não podia me ajudar lá em casa. Ele disse que sim com um sorriso maroto.
Ele entrou, sentou, pedi desculpa a ele, cheguei perto e falei que o móvel era apenas uma desculpa para estar com ele, mas só que desta vez sem os vendas nos olhos. Ele sorriu, me aproximei e começamos a nos beijar intensamente. Fomos para o quarto. Ele me jogou na cama, arrancou minha roupa, me bateu no rosto e na bunda me chamando de vadia e diz que agora entende porque “panela velha é que faz comida boa”. Gozei “feito doida”!
Fiquei tarada pelo pau do garotão. Meu marido nem desconfia que estou fazendo ele de corno, que todos os dias quando ele sai para trabalhar, o garotão vem em casa passar o dia comigo, me come muito e só sai pouco antes dele chegar.
Não posso deixar meu marido fora desse jogo, afinal ele sempre pediu para que eu o fizesse de corno. Vou fazer uma surpresa para ele – Dar uma trepada bem gostosa com o garotão, deixar a bucetinha toda melada de porra, colocar uma venda nos olhos do maridão corno e pedir para ele lamber e limpar tudo.
Acho que ele vai adorar! O que vocês acham?

10.1.18

AMO MEU MARIDO JAPONÊS - PAU PEQUENO E CORNINHO MANSO

Sou sansei, descendente de japoneses, 40 aninhos, seios médios, bumbum bonitinho, coxas não muito grossas, obediente, submissa, uma verdadeira gueixa. Sou casada com um japonês legítimo, maduro, 60 anos, liberal, obediente, corno mansinho compreensivo e incentivador.
Somos do interior de São Paulo. Ele trabalha na capital e aos finais de semana ficamos juntos e nos divertimos muito na noite paulistana.
Toda vez que vou a Sampa ele me presenteia com roupinhas ousadas, decotadas, minissaias curtinhas, shortinhos apertados que marcam bem a buceta. Adora que eu vista e passeie pela cidade com elas.
Ele sabe que gosto muito dele, mas que não supre minhas necessidades sexuais. Não é como eu gosto. É preciso muito mais para aplacar meu fogo. O maior motivo é o pau dele que é pequeno e não me satisfaz. Fica “sambando”, folgado lá dentro e não sinto nada. Ele sabe entende e colabora – Ele me deixa cornea-lo.
Em matéria de sexo é muito criativo e como falei liberal – tem tesão que eu seja hotwife, me ver com outros homens. Sempre fala no meu ouvido:
– Amor, arrombadinha pelo pau de outro macho, você fica mais gostosa e satisfeita!!!
No ultimo final de semana ele me presenteou com um quimono de seda de gueixa, me vestiu e pediu para eu servir a um amigo negro. Assim que o negão chegou e abaixou a calça me deu medo, me assustou. Sou apertadinha e o pau dele era descomunal. Antes de dar para ele, pedi ajuda ao meu marido.
O que ele mais adora fazer é me preparar para receber o pau de um comedor. Ele capricha chupando e melando minha boceta e meu cuzinho e na mamada deixando o pau do comedor bem duro, pronto para foder à bocetinha da esposinha.
Depois da gozada gostosa, que estou bem arrombadinha, suada e suja de porra ele faz questão de me chupar e limpar bem a porra da buceta. Faz espontaneamente, mas se eu ordenar ele faz com mais prazer ainda.
Amo meu japonês corninho… Você que leu nossa historinha hot está louco parar ser amigo dele, não é?

6.1.18

GATA, VOCÊ É UMA CUCKQUEAN?


Ser cuckquean é simplesmente gostar de ver/saber que seu companheiro se relaciona com outras mulheres.
A primeira coisa que a mulher cuckquean precisa desconstruir é a carga negativa dos julgamentos e das palavras proferidas pela sociedade ignorante, principalmente sobre de ser “corna”. Enquanto você continuar acatando o que os outros dizem sobre seu comportamento, e como o seu relacionamento deve ser, você nunca será feliz.
Lembre-se: você não deve satisfação a ninguém sobre suas preferências e sua vida sexual.
Se você se excita ao pensar no seu macho comendo outra, chupando ou sendo chupado, ou tem a fantasia ver ele com outra mulher, o primeiro passo para se aceitar e ser feliz sexualmente é admitir ser uma cuckquean.
O grande problema, na verdade, consiste na grande parte dos homens (não todos!) serem grandes babacas e machistas quando o assunto é sexo, e, portanto seu maior desafio será conversar com ele sobre o assunto e fazer valer, antes de tudo, um acordo que exija respeito. Passada a fase de contestação e você se aceitando como cuckquean, e tendo o entendimento do seu companheiro sobre a sua preferência, o próximo desafio está em lidar com as pessoas. Não que você precise dar satisfação sobre suas preferências, mas em algum momento certamente precisará se expor para aquela mulher que você deseja ver com seu companheiro. Por isso esteja pronta para receber uma série de rótulos que só não irão te atingir quando você desconstruí-los, sendo os mais comuns deles: corna e corna mansa.
O que mais me excita é ver meu macho com outra mulher, fazendo de tudo, isso me realiza e me dá prazer. Assim me encontrei e sou feliz! Isso é ser corna? (o que é totalmente contestável já que ele tem meu aval para comer quem eu aceitar, portanto ele não está fazendo nada escondido de mim) Então eu sou corna mansa e amo isso! O prazer que ele sente com outra mulher me invade, me domina e me faz gozar também. É o prazer em ver, sentir sem tocar, perceber as energias e vibrações… É muito mais do que o prazer físico, é indescritível, mágico, transcendental. Por isso sou realizada e completa sexualmente, e isso é ser cuckquean.
Texto extraído do Blog – Diário de uma Cuckquean

A GAROTA LEVANDO "BOAS ENTRADAS" DO MASCARADO




 

3.1.18

COMECEI 2018 ASSISTINDO MEU MARIDO "INAUGURAR" O CUZINHO DA MINHA AMIGA

O ano de 2018 começou quente! Principalmente para mim que sou uma cuckquean e boa esposa!
Um casal de amigos – Claudemir e Bianca – nos convidou para passarmos o réveillon na casa de praia. Fomos nós e outro casal – Lu e o Valdir… Somos três otimas amigas e confidentes faz um bom tempo.
Chegamos a Maresias na madrugada da sábado, exaustos e fomos dormir. No sábado levantamos tarde, tomamos café e, apesar do tempo nublado, fomos à praia. Bebemos muito, principalmente o Claudemir, marido da Bianca, que, apesar de espirituoso, não tem limites. Beija e agarra minha amiga o tempo todo, passa a mão na bunda dela na frente de todos e o pior, expõe a esposa e provoca:
– Então Valdir, não gostaria de ter uma mulher como a Bianca?
Ele meio “sem graça” respondeu:
– Claro a Bianca é muito bonita, mas tem marido!
A sorte é que a Lu, esposa do Valdir, tinha ido caminhar na praia senão teríamos problemas rsrs! Ela é muito ciumenta!
Ficamos na praia até final da tarde, petiscando e bebendo. À noite pedimos pizzas e, para acompanhar muita cerveja, bom papo, piadas, sacanagens, fofocas e confissões… Em algum momento, como sempre, as mulheres ficaram sozinhas conversando:
– Bianca, seu marido é maluquinho, fica te oferecendo para os outros homens… Ele tem tesão de ver você com outro? Perguntou a Lu.
– Amiga, não sei, tenho dúvidas. Claudemir fala, provoca, mas comer que é bom não come. Faz tempo que não vejo uma pica! Acho que o maridão tem tendência a ser corno!
– Lu, e como é com o Valdir? Perguntou a Bianca.
– Ele é ótimo, transa gostoso, mas é viciada em uma coisa…
– O que? Conta?
– Meu cuzinho! Quer sempre.
– Uau!!
Eu resolvi apimentar: – Uma amiga, que vocês não conhecem, me disse que prefere dar o cuzinho a buceta… E ela disse que quem dá o cu numa mais deixa de dar! Vocês concordam? Eu concordo!
Bianca me perguntou: – Carol, o Ricardo come o seu? Ele mete gostoso?
– Sim mete bem gostoso em todos os buraquinhos… Temos uma boa cumplicidade na cama.
Bianca bem puta: – Meninas, vamos parar com essa conversa… Estou sobrando aqui! Só meu marido não me come. Só meu cuzinho continua virgem! Preciso arrumando um amante!
Falando nele, Claudemir, o anfitrião, estava dormindo bêbado no sofá e Bianca teve que pedir ajuda para leva-lo pra cama.

Também bebi demais. Fiquei bem soltinha. Ricardo era o único sóbrio. Contei para ele à conversa que as “meninas tiveram” e que a Bianca, além de estar “na seca” era virgem no cuzinho… E que seu tesão era foder com outro cara!
Não demorou muito silencio total, todos desmaiados, menos eu e Ricardo. Pedi a ele que entrasse no quarto do casal e comesse a Bianca e eu queria assistir!
– Você esta louca Carol!
– O marido dela está bêbado e desmaiado, todos dormem, e eu estou com muito tesão em ver você fodendo minha amiga e tirando o cabaço do cu dela!
– E como você vai assistir?
– Quando fomos colocar o Claudemir na cama percebi que a janela do quarto deles esta entreaberta! Ah e como estava mal intencionada, deixei a porta encostada.
– Ok, vou lá então. Sua amiga é bem gostosinha e vai ser uma delicia comer aquele bundão!
Fui para fora e, sem que ninguém percebesse, me posicionei espiando pela fresta da janela. A visão era excelente. Via perfeitamente Bianca cochilando, quase dormindo. Ricardo entrou e deslizou a mão suavemente pelo corpo seminu dela – costas, coxas, seios…
Bianca ficou assustada! Mas estava relaxada, bebada e não podia gritar porque o marido estava dormindo ali ao lado, e daria uma merda grande com os outros casais.
Da janela eu ouvia a respiração ofegante dela. Apesar do perigo de sermos flagrados, era uma delicia o que eu esta vendo. Eu estava adorando a ousadia do meu marido!
Bianca estava imóvel não se mexia… Ricardo abaixou a calcinha dela até a altura dos joelhos, a mão dele foi tocando no meio das pernas, toques suaves, massageando, e eu ali de olhos bem abertos, molhada, com muito tesão, vivenciando tudo… A mão do Ricardo alisava a bundinha dela. O dedo dele passeando pela bucetinha pelo grelinho… Ela gemia baixinho. Ricardo enfiava os dedos, parava um pouco e voltava a acariciar até chegar ao cuzinho. Eu estava me tocando… Minha buceta escorria!

Ricardo resolveu ousar um pouco mais – Deitou ao seu lado, tirou a calcinha dela, e por trás, enfiou o pau grosso e comprido na bucetinha. Fodeu forte até Bianca gozar!
Ela relaxada continuava imóvel, sem coragem de se virar pra ver quem era o “algoz do prazer”! Bianca quis falar alguma coisa, mas Ricardo tapou a boca dela:
-Quieta, não faça barulho, seu marido ou alguém na casa pode acordar!