15.4.18

MARIDOS E ESPOSAS FAZEM SWING NA FESTA DA FIRMA

Esposas coroas safadas topam um troca-troca com os maridos e caem na orgia com empresários.
Os maridos encontram as mulheres para fazer um swing.
As esposas dos empresários estavam cheias de tesão e resolveram organizar uma orgia com seus maridos empresários.
Na festa rola um swing e uma troca de casais das coroas gostosas e safadas com seus maridos ricos e empresários bem sucedidos.
A festinha acontece na empresa mesmo.

VAMOS ELEGER A #BOCETA MAIS BONITA DO BRASIL? VOTE ALI AO LADO 👉👉👉

3 comentários:

Side Kicker disse...

Isso é muito tentador! Eu queria estar lá!

Irene Bastos disse...

Nunca imaginei que aos 35 anos e com uma filha de 10, iria entrar numa orgia sem o meu marido, que de nada suspeita,
Trabalho numa empresa multinacional, com sede em Paris e à cerca de 3 meses fui nomeada para fazar um estágio na sede da empresa com a duração de 15 dias. Estagiavam tb algumas colegas francesas, entre elas a Louise e a Elaine, também casadas, residentes em Paris, com as quais mantinha maior convivência. Na vespera de regressar a Portugal ofereceram-me um janter despedida. Elas fizeram-se acompanhar dos respectivos maridos e de um colega do estágio chamado Jean. No fim do jantar, acompanhado de bom vinho, não sei qual delas sugeriu irmos a uma boat, aceitei, julgando ser uma boat normal, porém ao entrar vi ser uma boat swing. Quiz regressar ao hotel, mas elas alegaram nada haver de anormal pois com alguma frequência ali entravam. Sentamo-nos, observando uma striper no varão e mais algumas bebidas ingerimos. Como lhes disse ser a primeira vez que havia entrado em semelhante boat, sugeriram mostrar-me o que se passava no primeito andar. Era uma loucura, casais completamente nus praticavam sexo em conjunto, à vista de toda a gente, salas com buracos na parede, dos quais saiam pénis que mulheres chupavam ou eram penetradas sem saberem por quem, a luz era minima, eu sentia mãos apalparem-me as partes intimas, não sabendo de quem e o mesmo acontecia com as colegas. Foi a Louise que me segredou! Tudo o que vez aqui é normal. Perante aquele ambiente, as apalpadelas recebias, com as bebidas ingeridas, e sem foder à mais de 15 dias, sentia-me tão excitada que não me opus quando a Elaine sugeriu entrar para um reservado com uma cama redonda. Ela decerto estava também excitada, pois embora presente o próprio marido, abraçou o marido da Louise beijando-o, para de seguida se ajoelhar, tirar o pau dele para fora e fazer-lhe um boquete. O marido da Elaine agarrou na Louise, atirou-a para cama e caiu de boca entre as pernas dela. O Jean aproximou-se mim, abraçou-me e pela primeira vez troquei um beijo de língua sem ser com o meu marido. Ambos os casais já estavam nus e eu não me opuz quando o Jean começou a despir-me, despindo-se ele também. Já ambas estavam a ser penetrara, cada uma com o marido da outra. Era excitante ver aqueles paus entrar nas suas conas, arregaçando-lhe os labios vaginais, com elas gemendo e agitando-se debaixo deles. O Jean levou-me até à cama, onde me deitei de costas e abri as pernas para ele, não aguentava mais o desejo que sentia. Ele porém começou por me beijar os mamilos e só depois foi descendo até ao meio das minhas pernas, fixando a boca nos lábios vaginais e chupando o clitóris. Que saudades eu tinha de algo assim, pois logo obtive um orgasmo. Não dava atenção ás colegas, ouvia elas gemer, e vi que cada uma cavalgava o marido a outra. Apesar do orgasmo desejava ser penetrada e foi o o que Jean fez. Apenas ali havia entrado o pau do meu marido, parece-me ser mais grosso, depois dum delicioso vai vem, com mais um orgasmo, ele veio-se nos meus seios. Ainda estava no estase quando o marido da Elaine chegou junto do Jean e lhe disse: vai foder a minha mulher para eu experimentar a portuguesita; Não queres fazer-me um boquete? Como tinha apenas chupado o meu marido, tb quiz experimentar, e lá lhe fiz o boquete gostoso, afirmando ele que eu chupava muito bem, seguidamente penetrou-me, perante o olhar da esposa com ela dizer: fode-a bem e o malvado veio-se dentro. Felimente não tinha deixado de tomar o contracptivo. Foi a vez do marido da Louise dizer para ele sair de mim porque também pretendia experimenar-me, mas este queria meter no meu cusinho e a esposa insestia comigo para eu deixar, ainda aleguei não ter lubrificante, mas ela estava prevenida de forma que deixei para aliviar a cona que estava bastante dorida. Apeser de lubrificado custou a entrar, embora lentamente e ele com mão dedilhando o clitóris, fez-me gozar bastanta. Quando entrou todo. ambas bateram as palmas. Exclamando! Já entrou todo. Agora goza no cuzinho dela; e várias golfadas quentinha inundarme-me o intestino grosso.

Uma noiva na noite de núpcias disse...

Também já participei numa orgia, a qual foi para mim uma surpresa e que eu não esperava para naquela noite. A minha noite de núpcias. Enquanto namorados algumas vezes comentamos esse estilo de praticar sexo, que deveria ser excitante, mas nunca imaginei que o meu recente marido tal coisa organiza-se à minha revelia para a primeira noite que iria-mos ficar juntos, ocultando-me ainda onde a iria-mos passa. A boda decorreu normalmente, apenas estranhei os padrinhos e alguns casais de convidado terem abandonado a sala após partir o bolo da noiva, mas de nada suspeitei. Foi a caminho do local onde iria-mos passara noite que lhe perguntei. Afinal para onde vamos? Meu amor, deixa que logo vez. Fiquei surpresa quando vi ser um motel e indaguei! Porquê um motel! É Mais excitante, marquei uma suite para nós. A suite, em completa escuridão, pareceu-me normal, mas a grande surpresa foi quando ao acender a luz ver que ali estavam os padrinhos e os convidados que haviam abandonado a sala, totalmente nus, acariciando-se e beijando-se, alguns casais já trocados. Por pouco não desmaiei, mas recompus-me, ouvindo em coro: bem vindos, esperamos que se juntem a nós. Não sei quantas foram as mãos femininas que nos despojaram das roupas, ficando nus tal como todos eles. Tb em coro exclamaram! Iremos ver em directo a confirmação de um matrimónio, após a qual, se ambos concordarem, a noiva poderá oferecer-se para os padrinhos e convidados que a desejarem. Ainda esperei que o meu marido disse-se não concordar, mas ele concordou. Eu, já bastante excitada por ver tantos caralhos tesos, também confirmei e para iniciar ajoelhei-me e fiz um maravilhoso boquete ao meu marido, que ele de seguida retribuiu-me com um delicioso minete, provocando-me um intenso orgasmo. Na penetração o pau dele entrou com facilidade, pois já não estava virgem, pedi-lhe para gozar dentro, queria ficar bastante molhada porque tinha observado haver alguns caralhos monstruosos, com os quais iria sofrer. Era excitante ver que todos observavam a confirmação do matrimónio, era como estar fodendo em público. Foi depois de ficar inundada pelo meu marido, que um padrinho, disse para o meu marido; vai agora foder a tua madrinha e deixa a noivinha para mim! Ia realmente experimentar o pau de outro homem. Afilhada, peço-te que te ponhas de 4. Assim procedi, mas ele antes de me penetrar beijou e lambeu-me a cona, metendo a língua profundamente. Após colocar o preservativo meteu tudo numa só estucada. Não sei se por ser o primeiro caralho diferente a entrar em mim, não consegui evitar os gemidos de prazer. Por toda a suite se ouviam os gemidos, incluindo os meus; os casais trocava da parceiro, utilizando as poltronas e o sofá, pois a cama era exclusiva para mim. Todos queriam experimentar a noiva, outros me foderam, diversa posições foram utilizadas todos com preservativos. Chegou a vez do que possuía um caralho monstruoso. Ao ver aquilo mais perto estremeci. Era muito grosso. Ia arrombar-me a cona. Peguei-lhe para avaliar. Era lindo não me contive e meti-o na boca e chupei-o. Algumas gotículas escorreram, mas não foi esperma porque ele não se veio na minha boca. Apesar de bastante molhada serrei os dentes quando o monstro começou a entrar, pronunciando uns ai ai, parecia estar perdendo novamente a virgindade, mas foi delicioso com o orgasmo obtido. Não sei ao certo se todos me foderam, mas foi uma maratona; tinha a cona já tão esfolada que para a aliviar dei o cuzinho para alguns, que mais satisfeitos ficaram. Era já dia claro quando fiquei apenas com o meu marido. Estava tão dorida que mal me podia sentar, mas gostei da experiência, pois gozei bastante. Não me importo repetir. Dormi-mos até cerca do meio dia, ambos abraçados,