29.8.18

MARIDO TEM MUITO TESÃO EM SER PENETRADO PELA ESPOSA

Tenho 51 anos, minha esposa, 62. Ela é madura, bonita e gostosa. Uma linda loira catarinense, tem uma bundinha deliciosa, lindos seios e uma xoxota gostosa demais.
Sou hétero e ativo, mas sinto muito prazer anal sendo penetrado por ela. Sempre gozei muito assim, desde minha adolescência, quando me masturbava enfiando o dedo no cu, e gozava bem gostoso.
Minha esposa me come, eu como ela, nos chupamos e é uma delícia.
Ela veste o cinto com o pau, o “cintaralho” e me diz:
– Amor, eu vou te comer bem gostoso. Hoje quero inverter os papéis. Sua esposa será seu macho. Se você aguentar sem gozar eu te foder até eu cansar, seu prêmio será comer meu cuzinho. Agora, se você gozar sendo enrabado por mim, eu não vou deixar você nem chegar perto da minha buceta, quanto mais do cuzinho.
Ela me mandou ficar de quatro. Lambeu meu cu e enfiou a língua bem lá dentro. Acariciou meu saco até meu pau ficar super duro. Lubrificou bem meu cuzinho e disse:
– Pronto! Vou foder meu homem bem gostoso.
Ela encostou a cabeça do “cintaralho” no meu rabo e forcou para entrar. Gemi e ela disse:
-Relaxe esse cu, amor. Sente a pica da sua esposa entrando no seu rabo. Seja minha fêmea gostosa.
Forcou mais enfiando sem dó. Gritei de dor. Minha esposa socava o pau dentro do meu cu de todas as formas e eu me segurando muito para não gozar. O pau duríssimo latejava, mas eu me segurava sem deixar o gozo vir. Ela tirou o pau do meu cu e disse:
– Chega de inversão, agora quero você meu macho. Vem aqui foder essa buceta melada.
Ela deitou, abriu as pernas e eu fui por cima. Estava ensopada, derramando. Meu pau entrou todinho. Ela disse:
-Olha que delicia você está comendo sua esposa. Fazia muito tempo que você não metia na minha buceta? Toda vez que te como e você goza, aí fica de castigo só na punheta.
Fui ficando cada vez mais com tesão e ela também. Ela me mandou deitar e sentou no meu pau. Encaixou, começou a galopar e se esfregar:
– Que tesão, você está me fazendo gozar com seu pau. E gozou forte e gostoso em seguida, dando vários tapas bem fortes na minha cara. Gozei em seguida.
Depois que gozei ela disse:
– Você já sabe o que deve fazer. Desce e limpa minha buceta. Lambe e sente o gosto da sua porra.
Minha esposa tem muito tesão por homens que gostam de inversão de papéis, que gostam de serem penetrados.
Ela diz que adora ter um marido submisso um escravo sexual.
Eu acredito na supremacia feminina, adoro todos os jogos de dominação, de sadomasoquismo e de todo tipo de sexo liberal, principalmente inversão!

4 comentários:

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Olá curto sim e muito mais com umaumulher experiente. Tenho 30anos 173cm 67kg corpo bonito,magro, coxas e pernas grossas ,bum bum bem redondinho de tanto sentar no strapon de uma amiga ! Pena q ela se mudou pra França se não seríamos três, estou morando em São Paulo bela vista me manda uma mensagem privada no e-mail e vamos conversar . La te mando fotos , tenho uma pegada boa ativo ee passivo, posso ser totalmente submisso e obediente se for sua preferência! Rodrigo31sp1986@outlook.fr
Estou esperando vc la!

Moreno de Brasília disse...

Se todos os soubesse da o cuzinho para mulher é bom todos dava

Maria da Encarnação disse...

Era uma fantasia que eu tinha desde a noite de núpcias. Comer o cuzinho do meu marido, porém não sabia como abordar um assunto tão delicado. A oportunidade surgiu quando numa noite de sexo intenso ele me pediu para o deixar comer o meu cuzinho. Sim, podes comer o meu cuzinho quando eu comer o teu. Olhou para mim, surpreendido com a minha exigência. O quê? No meu cuzinho não entra nada. Então no meu também nada vai entrar. Naquele noite nada sucedeu, mas depois algumas vezes senti os seus dedos acariciarem-me a entrada do cuzinho.
A minha reação foi procurar fazer nele o que ele me fazia. Ao sentir os meus dedos, os seus abandonaram de imediato o meu cuzinho. Em outra noite, quando me fazia sexo oral, senti que a sua língua descia e circundava-me as pregas do traseiro.
Apesar do prazer que aquilo me provocava, não estava disposta a ceder. Disse-lhe mesmo: escusas de me excitares aí porque só deixo meter se eu meter também em ti, pois não serás por isso considerado homosexual e o que se passa entre quatro paredes com um casal apenas eles são sabedores. Não sei de onde surgiu essa tua ideia de me penetrares! É uma fantasia que tenho e estou convencida que também irás sentir prazer; no entanto para isso terá de haver preparação de parte a parte. Querida, para meteres em mim não poderá ser algo muito grosso. Olha querido, o teu cuzinho deve ser mais ao menos igual ao meu, portanto se eu for aguentar a tua verga também tu poderás aguentar algo semelhante. (Depreendi de imediato que o tinha convencido). Disse-me para ser eu a comprar um pénis não muito grosso, porque ele tinha vergonha de o fazer; eu concordei, mas comprei sim um cinto com o pénis mais ou menos da grossura e comprimento do dele. Ao ver aquilo logo exclamou: isso é muito grosso! Se o teu é desta grossura e eu terei de aguentar, tal como na primeira vez o aguentei na cona, é a forma de saberes o que irei sofre quando meteres em mim. Olhando para ele propus ser eu primeiro a meter nele, receando que depois ele recusasse. Aceitou, pelo que eu própria me dispus a preparar-lhe o cuzinho. Lubrifiquei-o muito bem, meti um dedo que rodopiei nas pregas, de seguida dois dedos; aí logo reclamou que lhe fazia doer, mas com mais lubrificação passado algum tempo habitou-se. Faltava a parte mais difícil que era meter o pénis. Coloquei o cinto com o respectivo e pedi para se colocar de quatro. Lubrifiquei-lhe novamente o cuzinho e o pénis que ia entrar ali. Ele virando o rosto para traz ainda exclamou! Só tu consegues que eu faça uma coisa destas. Eu não repliquei, ia finalmente concretizar a minha fantasia, tinha o cuzinho dele à minha disposição. Apalpando-lhe a verga verifiquei que estava bem tesa. Afinal ele estava a sentir tesão. Eu também sentia bastante excitação. Ajoelhada junto ás suas coxas lubrifiquei muito bem o cuzinho e o pénis, que por ser artificial não se babava, enquanto com uma das mãos o punhetava com a outra encaminhei o pénis para o cuzinho, roçando a cabeça nas pregas; o cuzinho piscava, mas meti só a cabeça. Ele reclamou logo: isso é muito grosso! Olha querido, o teu também é muito grosso e eu terei de aguentar. Só assim poderás saber o que é para uma mulher a primeira vez que um caralho entra nela. Vou meter aos poucos para ires habituando. Deixei de o punhetar e com ambas as mãos segurei-o pelas ancas. Que tesão eu sentia ver aquilo ir entrando e ele pedindo que parasse, tentando escapar, mas não sei onde fui buscar força para o segurar até ter entrado tudo. Querido está todo dentro de ti. Pediu para o tirar, que aquilo dentro dele o incomodava, mas eu disse-lhe ser necessário habituar-se e deixei ficar. Como em todas as coisas o mais difícil é a primeira vez. Não irei contar como decorreu a perda da virgindade do meu cuzinho, direi apenas que atualmente, praticamos a inversão com frequência. O meu marido afirma que já sente prazer e é ele que muitas das vezes me pede para o enrabar e eu sinto também tanta tesão vendo aquilo entrar-lhe no cuzinho que de seguida peço para me foder, obtendo fabulosos orgasmos e gozando-mos os dois ao mesmo tempo.

Tony Sul de Minas disse...

Olá pessoal,

Aqui em casa 🏡 já praticamos a anos e é muito prazeroso pra nós.
Ela adora me comer diz que o meu pau do da de tamanho ( tenho 19cm de pica) kk. Ela me pede pra come lá com o consolo enfiando no meu cuzinho. Eu piro metendo assim não consigo controlar e gozo muito KKK
É bom demais 😍😋😋
Tem 50 anos e curtimos muito nossas transas.
Bjsss 😘

Sul de Minas