27.11.19

CARIOCA DESCOBRE O PRAZER DA INVERSÃO


Moro no RJ, separado e há algum tempo descobri o prazer da inversão com uma mulher que me relacionei. Inicialmente relutei, porém com a insistência dela, a princípio permiti que ela me tocasse com os dedos. Logo após ele pediu-me se a deixaria usar um strapon, o qual segundo ela, iria me levar a loucura. Realmente, o prazer proporcionado é muito intenso e acabei me "viciando".
Pena que não são todas as pessoas que consigam ver na inversão, uma forma de dar e receber prazer. Caso alguma mulher que curta a inversão e esteja em busca de momentos prazerosos, sem outros envolvimentos, mande uma mensagem.
Quem sabe não poderemos compartilhar momentos de prazer, carinho, desejo e cumplicidade? 
Alguém tem experiencias em inversão para compartilhar? Publique aqui no blog.








24.11.19

DEI PARA O BOY NEGÃO NO DEPOSITO DA EMPRESA

Estou casada faz 15 anos, tenho 45 anos, meu marido tem pau pequeno, apenas 12 cm e fino. Sempre fui louca para meter com um negão, queria experimentar na buceta uma rola com mais de 20 cm. E aconteceu!
Onde trabalho tem um garoto de 19 anos, alto, negro, o boy negão. Dia desses fui até a copa tomar café, ele se aproximou e ficou me olhando, me "medindo", se posicionou atrás de mim e, pelo espelho, vi que ele não tirava o olho da minha bunda.
Ele percebeu que também mostrei interesse nele. Sempre que eu ia tomar café ele "chegava junto". Beijos no canto da boca e abraço forte... Até que um dia, estava lavando a xicara do café ele veio por trás, encostou o pau na minha bunda. Minhas pernas amoleceram. E, quando ouvi sua voz no meu ouvido me chamando de gostosa, me falando que eu tinha um rabão delicioso e... 
- Quero te foder gostoso! 
Fiquei cheia de tesão e minha bucetinha ficou muito molhada.
Fomos para o deposito. Entramos, trancamos a porta e ele começou a me pegar com gosto, passar a mão na minha bunda e na minha bucetinha, enfiar os dedos nela que estava pingando de tesão. Sua boca beijava meu pescoço, minha orelha. Ele colocou a rola para fora e eu peguei com gosto, comecei a acariciar o pau grande e grosso, enfim ele é um negão! Cai de boca naquele pau grande, grosso que encheu minha boquinha. O boy negão cheio de tesão com o pau durinho e todo babado da minha boquinha, pediu para me foder. Virei o rabão, fiquei de quatro e ele começou a me foder gostoso. Eu gemi alto e descontroladamente na hora que ele enfiou a rola em mim, nossa foi delirante. Eu falava:
 - Mete gostoso, arromba minha buceta!


Nossa que momento prazeroso ser fodida por aquele negão. Era como perder o cabaço novamente! Ele tirou o pau e gozou gostoso nas minhas costas, senti o leitinho quentinho do negão! 
Nossa foi bom demais tanto que quero repetir e é claro que com o mesmo negão que realmente é delicioso, muito gostoso, que sabe como tratar e pegar uma mulher gostosa como eu que adora ser fodida com força, que adora levar uns tapas no rabão branquinho e grande. 
Depois de tudo isso transar com meu marido é foda! Nem cocegas faz! Tenho vergonha e lhe dizer que não me satisfaz sexualmente, gostaria imenso que o meu marido me repartisse num ménage com um o negão, saber do prazer que uma rola maior em comprimento e espessura provoca numa mulher. 
Gostaria de receber algumas dicas de alguém que tenha convencido o marido a dividir a esposa com outro homem.

21.11.19

TRANS PROCURA MULHER HOTWIFE EM SP CAPITAL

Minha sexualidade e minhas curiosidades afloraram muito cedo. Me lembro de sentir tesão ainda muito criança. 
Perdi a virgindade com uma garota aos 13 anos e a partir disso iniciei minha vida sexual. Comecei a ficar com meninos e meninas com essa idade. Mas sempre me dei melhor com garotas. 
Sempre me senti mulher, mas tive muito receio de me assumir travesti por conta de preconceito das pessoas, principalmente familiares. Então guardei esse segredo até a vida adulta. 
Sempre curti beijar muito na boca e transar. Já participei de muitas festinhas e bagunças e tive uma amiga que apresentei a ela meu fetiche de "dividir" a mesma mulher com outros caras e ela adorou. Eu e ela transamos algumas vezes com outros caras e confesso que amava aquela sensação do corpo dela suado e com cheiro de sexo. Amava penetrá-la após outros caras e sentir aquela pepeca quentinha e usada. Nunca senti nada tão gostoso na vida. Infelizmente não chegamos a namorar e, depois dela, tive essa experiência com mais algumas meninas que fiquei.
Desde então não tiro essa sensação deliciosa da minha cabeça. Tenho um imenso desejo de namorar uma mulher que adore fazer várias loucuras e aventuras desse tipo. 

Mesmo depois de me assumir trans meus desejos continuam os mesmos e ainda busco pela "HOTWIFE ENCANTADA" Que também tenha interesse em se relacionar com uma mulher trans e comigo viver muitos momentos de prazer e aventuras deliciosas. 
Não só pra isso. Mas que também tenha reciprocidade nos sentimentos. Que seja algo construtivo. Uma relação de amizade e cumplicidade. Mas que ame ser essa esposinha devassa. 
Estou em busca de realizar esse sonho. Será que vou conseguir encontrar?

17.11.19

TROCAMOS DE ESPOSAS DURANTE UMA SEMANA

Desde há cerca de dois meses que medito se comentaria ou não a minha primeira e única troca de casais, que não foi uma troca apenas por uma noite; trocamos de maridos durante uma semana. 
Somos um casal ambos com 35 anos, residentes em cascais, eu de nome Isabel, o meu marido é arquitecto e desde há vários anos que fazemos férias no Algarve com um casal do porto, ele com 38 anos, de nome Rogério, engenheiro e ela Mafalda, com 35. 
Já o ano passado em tom de brincadeira o Rogério havia dito - Havemos de trocar de esposas durante uma semana. Este ano, logo no início das férias, surgiu a pergunta: 
- É este ano que trocamos de esposas? 
A minha poderá ir para Cascais se a Isabel for para o Porto. Isto é uma troca só para ver a diferença entre uma e a outra como donas de casa, nada de sexo, mas eu bem notava nos seus olhos o desejo que tinham em me foder, assim como o meu marido o seu desejo pela Mafalda. 
Este diálogo repetia-se tanto durante as férias que convenceu o meu marido e este deixou a decisão ao critério das esposas. A Mafalda concordou aceitar e eu também. Combinei, no entanto, com ela falarmos todos os dias e se algo acontecesse entre ela e o meu marido eu também daria para o Rogério, pois ele é um grande gatarrão. 

Assim no princípio de setembro fui para o Porto e ela veio para Cascais. 
Rogério ficou encantado, esperava-me um quarto independente e as refeições eram nos melhores restaurantes. No primeiro dia nada sucedeu, mas no segundo comunicou-me Mafalda que o meu marido a queria foder, pedindo-lhe para nada me dizer, para o marido dela não ter conhecimento e não me pressionar para também me foder. 
Comigo sucedia o mesmo, notava bem o desejo do Rogério ir para a minha cama. Então disse para a Mafalda: 
- Olha, se estiveres interessada aproveita, que eu farei o mesmo. Mas eles nunca irão saber o que se passar conosco. 
Nessa noite, ao jantar, o Rogério escolheu um bom vinho, fingi-me embriagada, cambaleando, disse-lhe sentir tonturas e fechava os olhos, demonstrei dificuldade em andar e ao chegar à residência pegou-me ao colo e de imediato pensei: “Vai ser uma noite de núpcias”! Perguntou se me importava de dormir na sua cama que era mais confortável. Não respondi, fingi-me sonolenta, despojou-me de toda a roupa, não opus resistência e deitou-me, ficando ao meu lado também nu. Uniu-se a mim, com o caralho bem rijo, que encostou à minha coxa esquerda, não reagi, no momento não foi mais além, mas depois senti a sua mão no meio das minhas pernas. Assim passamos a noite. 
Ao acordar de manhã mostrei-me surpreendida! O que é isto? Quem me despiu? Estavas sonolenta e não encontrei nada para dormires. Aí se o meu marido sabe. 
- Nunca irá saber, apesar de eu estar assim ao teu lado não te fiz nada, mas o que acontecer entre nós será um segredo só nosso, para o teu marido não forçar também a minha mulher; o certo é que desejo mesmo possuir-te. 
Mas o combinado foi não haver sexo. 
- Sim, mas és mesmo irresistível. não aguento mais. vamos quebrar o combinado? 
Sorri, e por que não ser? 

Sabia que o meu marido fazia o mesmo com a Mafalda. Ao ouvir isto de imediato me abraçou e os nossos lábios uniram-se para o primeiro beijo de língua que recebia de outro homem. Nem tomamos o pequeno almoço, continuamos na cama, os seus lábios procuraram-me os seios, seguindo depois lentamente até ao meio das minhas pernas, beijando, lambendo e chupando o clitóris. Sentir uma língua e uns lábios diferentes na cona era uma delícia, provocando-me enorme excitação, peguei o seu caralho, meti-o na boca, saboreando um pau diferente, era uma nova experiência. Rogério colocou-se sobre mim num 69, provocando-me um orgasmo como a muito não sentia. Seguiu-se a penetração, que sensação maravilhosa sentir entrar em mim um caralho diferente e mais grosso que o do meu marido. 
Naquele dia não saímos de casa, foi como a noite de núpcias. Nos dias seguintes após as refeições íamos para a cama, era uma autêntica lua de mel. Passaram os 8 dias, regressamos aos respectivos maridos os quais estão convencidos que a sua esposa é uma santinha e que a esposa do outro era safada.
Nas próximas ferias vamos todos juntos para o Algarve!


12.11.19

DEI PARA MEU VIZINHO E NÃO ME ARREPENDO

Estava me sentindo sozinha, meu marido vive para o trabalho. Acabei me envolvendo com outro homem, meu vizinho, um cara maduro recém divorciado, que mora sozinho. 
Quando circulava pelo prédio notei que ele me comia com os olhos, me sentia desejada, começamos a conversar e, quando meu marido estava viajando, fui conhecer o apartamento dele e acabamos metendo!
Ele abriu a porta com cara de safado me deu um beijo e disse:
-Entra, vem aqui que vou apagar seu fogo!
Comecei a beijá-lo, aquela língua dentro da minha boca, queria aquela língua por todo meu corpo, queria aquela língua dentro da minha buceta que estava ensopada. 
Tirei a roupa dele, levantei o vestido e esfreguei meus peitos na cara dele. Eu estava descontrolada, tirei minha calcinha, abri as pernas e pedi para ele me chupar. Sentir aquele homem entre minhas pernas, com aquela língua brincando com a minha buceta... Eu gemia feito uma cadela, segurava forte a cabeça dele para que não tirasse a língua de dentro de mim, e não demorou muito tempo para que eu gozar novamente. 
Mesmo assim, não estava satisfeita. Pedi para ele foder minha buceta e me fizesse gozar com a rola dele dentro de mim. O safado não perdeu tempo, e na mesma posição que eu estava, meteu aquele o pau enorme. Sentia aquele macho me fodendo gostoso, e aquele tesão me consumindo por dentro. 
Ele tirou a rola da minha buceta, me colocou de quatro e começou a forçar meu cuzinho. Ele come tão gostoso que não senti dor e olha que o pau dele é bem maior que do meu marido. 
Me ajoelhei e abocanhei aquela rola, enorme, chupei até ele gozar na minha boca. Engoli tudo, ainda limpei a rola com a língua.
Não sei dizer se o que senti foi dor ou prazer, só sei que senti a melhor sensação da minha vida, parecia que eu estava num sonho. 
O vizinho além de meter muito, tem uma rola grande e deliciosa, uns 25 cm que mais parecia um cavalo, grosso, cheio de veias com uma cabeçorra grande e vermelha, que nunca pensei que tudo aquilo entrasse na minha buceta. Com ele me soltei muito mais, até permiti que ele comesse meu cuzinho virgem.
Sei que o que eu estou fazendo é errado, mas quero fazer.
Quando não estamos juntos ele manda mensagens pelo Whatzapp: "que vai me fuder, que vai meter forte na minha buceta, meu cu, que vai gozar na minha boca" Isso aumenta o tesão. 
Descobri que depois disso não seria mulher de um homem só e que meu marido teria que me dividir com o vizinho. 
Estou me sentindo uma putinha e eu quero ser a putinha dele.

10.11.19

AMIGO METEU COM MINHA ESPOSA NO CARRO

Confessei para minha esposa um fetiche que tenho faz tempo: Vê-la metendo com um cara dentro do carro em frente a nossa casa. 
- Com quem?
- Com aquele amigo meu que tem muito tesão por você.
Já tinha conversado com ele e dito que eu e Ana tínhamos uma relação aberta e que tinha tesão em vê-la transando com outro cara.  
Meu amigo é casado e tem receio de ser visto entrando em um motel. Disse a ele que podia rolar no carro mesmo, mas que tinha que ser em frente de casa. Nossa rua é deserta, arborizada, com algumas fabricas, só tem cinco casas. Bem deserto!
Ele achou a ideia uma loucura, mas todos ficamos com muito tesão pela situação.
A noite ele ligou e disse que estava chegando. Deu como desculpa para a esposa que vinha até minha casa para terminarmos um projeto. Ele parou o carro bem debaixo da árvore que combinamos, uma que fica em frente à nossa casa. Um lugar perfeito… inclusive já vimos vários carros parados ali com casais namorando dentro.
Ana estava muito gostosa vestido preto, salto alto, cheirosa, com cabelos ainda molhados. Confesso que nesse dia meu ciúme. Ela me beijou e foi em direção ao portão da varanda... Meu amigo gentilmente abriu a porta do carro e ela entrou. 



Passaram alguns minutos, as portas se abriram e eles foram para o banco de trás. Eu de pau duro, suava frio. Vez ou outra o carro dava uma mexida, fazia um barulho, abafado pelo som em volume médio e eu morrendo de ciúme e tesão.
Meia hora depois a porta se abriu, eles se despediram com um beijo. Saiu do carro e entrou em casa com um sorriso de orelha a orelha. Dava para ver a satisfação em seus olhos. Naquele momento soube que eles tinham realmente transado e que tinha sido muito bom. 
Ela me levou para o quarto, me deu um longo, molhado e delicioso beijo e disse: 
- Aproveitando esse seu pau duro, deite-se que eu vou contar tudo. Foi uma delícia, amor. Nos beijamos logo que eu entrei no carro. Ele começou a me acariciar as coxas, o pescoço. Conversamos e ele disse que é muito grato a você por me liberar para ele. Nos beijamos mais e eu peguei no cacete dele, duro como pedra, grande e grosso.


Abri a calça dele, caí de boca e mamei com muita vontade. Lambi as bolas e deixei o macho louco de tesão. Ele queria retribuir a chupada, mas estava apertado, então fomos para o banco de trás. Lá ele me chupou deliciosamente e tive meu primeiro orgasmo.
Depois disso ele se sentou, colocou o preservativo e eu me sentei no pau dele, amor. Cavalguei gostoso, gemendo naquele pauzão. Quando eu estava quase gozando ele mandou ficar de quatro. Claro que eu fiz o que ele queria.
Ele socou com vontade, segurou na minha cintura e gozou metendo muito, num vai e vem frenético. Fez barulho e eu dei uns gritinhos, amor. Espero que ninguém tenha percebido eu te chifrando!
Nessa hora eu já estava gozando, louco de prazer e tesão. Ela também gozou novamente e foi assim que demos um jeito de sair da rotina, mesmo sem estarmos “juntos”. 
Foi muito bom. Uma experiência única para nós.




7.11.19

HOTWIFE MADURA DISPONÍVEL PARA FODER NA FRENTE DO MARIDO

Sou hotwife, casada com um cuckold, madura, formada em biologia, financeiramente estável e trabalho em um laboratório. Nosso tesão é - eu fazer sexo com outros homens e meu marido participar assistindo os outros machos me comendo na frente dele. Tenho preferência por maduros acima de 60 anos e novinhos de 18 a 24 anos.
Ele deixa os machos fazerem anal em mim e bebo porra sem reclamar. Sou bem flexível quanto ao dote de quem quer me usar destas duas formas. Gosto de tomar rola em pé, feito uma égua. Esse é o jeito que meu marido mais gosta de ver outro macho me pegar... Em pé, recebendo por trás. Eu sou assim, cavala, se você gostar de montar em uma mulher casada, na frente do marido, estou disponível para deixar você se satisfazer no meu corpo. 
Atualmente faço "hora extra" com meu patrão, um coroa gostoso de 64 anos que me ajuda a pagar as contas de casa. Ele nem desconfia que meu marido sabe e deixa ele me foder!  
Temos disponibilidade para viagens, porem quem convida arca com as nossas despesas. Também fazemos sexo com mulheres e casais e, neste caso com menos restrições quanto a idade. 
Não peça zap ou Skype ou abrir cam no primeiro contato. Só adicionamos quando as coisas estão bem encaminhadas. Vamos conversar pelo blog.
Beijos para todos que querem me usar.

1.11.19

MEU FETICHE É SAIR À RUA SEM CALCINHA

Aprendi ser exibicionista com o meu marido. Adoro me exibir. Ultimamente vou trabalhar ando em público, de ônibus, metrô, de carro sem calcinha. 
Esse fetiche começou quando ainda namorávamos e transávamos no carro em uma praça aqui em São Paulo. Muitas vezes estávamos metendo passava alguém e ficava olhando. Eu tentava me comportar e ele me incentivava a continuar e deixar o cara olhar. isso começou a me dar muito tesão e logo eu mesma queria transar com as janelas do carro abertas para as pessoas olharem.  
Casamo-nos e continuamos com os nossos fetiches. Fomos morar em um apartamento, andávamos pelados e, de vez em quando, transávamos no sofá para os vizinhos olharem. As vezes meu marido ficava escondido e eu mostrava a buceta e o vizinho batia punheta! 
Meu marido adora sair comigo quando eu estou sem calcinha. Sempre dou um jeito que alguém note, principalmente em bares ou restaurantes. Sempre procuro me sentar de um jeito que fique em frente à algum homem. Quando notam que eu estou sem calcinha com a buceta aparecendo, eu provoco meu marido:
Amor, aquele cara não tira os olhos da minha buceta!
Ele fica doidinho de tanto tesão não vendo a hora de chegar em casa e me comer.


Um dia fomos abastecer o carro, paramos e o frentista se ofereceu para lavar o vidro do carro. Eu estava sentada no banco do carona com as pernas bem abertas. Quando ele viu minha buceta depiladinha, coidadinho ficou até meio tonto...!! para provocar mais, levantei a perna para a buceta ficar bem a mostra. Ele ficou olhando e o meu marido para sacanear, perguntou se ele nunca tinha visto uma xoxota e não podia ficar olhando a buceta de uma mulher casada rsrsrs. O cara ficou desconcertado!!


As vezes estamos na rua, a noite, com tesão, ai vamos matar saudades de onde tudo começou - na praça, transar no carro com as pessoas olhando.
Dá muito tesão!