23.4.19

FESTINHA QUENTE A TRÊS – SEXO HOT “DE QUEBRAR A CAMA”

Há cerca de três meses Eu e Marisa, minha esposa, fomos à Porto Alegre aproveitar o final de semana na capital gaúcha. Chegamos numa sexta feira à tarde e nos hospedamos em um hotel no bairro Belo Vista. À noite fomos jantar em um restaurante de comida contemporânea muito agradável, bem decorado e aconchegante.
Aproveitei que teríamos um final de semana tranquilo na Cidade e liguei para Fernanda “Gauchinha” uma Garota de Programa linda e gostosa que conhecemos pela internet. Eu estava com péssimas intenções. Além de conhecê-la “ao vivo e a cores”, daria um presente para Marisa – uma noitada de muito sexo Eu, Ela e Fernanda.
Uma frase da gata, que li no Facebook dela não saia da minha cabeça:
“Se a parceria for boa, o sexo comigo é de quebrar a cama”.
Depois de ler isso fiquei com muito tesão em poder dividir minha esposinha com a Gauchinha. Seria fantástico! Marisa ficou excitada com a ideia. Há muito Ela vinha pedindo para sairmos com outra mulher. Combinamos nossa “festinha” para inicio da noite.
Fernanda chegou um pouco depois do horário combinado, o que nos deixou mais ansiosos e excitados. Ao vivo Ela é muito melhor do que imaginava: Morena, linda, aproximadamente 1.65 de altura, bundão, peitão… Um tesão!
Naquele momento já comia a Gaúcha com os olhos. Vestido preto, justíssimo e decotado com fenda na parte de trás. Sapatos pretos de saltos altos e finos. Unhas pintadas de vermelho. Cabelo preto liso até a cintura.
Em pouco tempo nossa ansiedade deu espaço a piadas, gargalhadas, uma papo divertido e um brinde com um bom espumante… Que logo se transformou em beijo triplo. Um “esquenta” para uma noite que prometia muito sexo intenso.
Fernanda tirou o vestido – como eu imaginava vestia lingerie e meias pretas 7/8 preta – juntou a nós… Eu me afastei e disse:
– Pronto amor, aí está teu objeto de desejo, aproveite a bucetinha dessa Gaúcha gostosa e goze muito!
Elas se atracaram num beijo quente, gemiam uma no ouvido da outra e, rapidinho, estavam nuas com as bocas coladas. Fernanda se esfregava na bucetinha molhada de Marisa. Por pouco as duas não gozaram.
Fernanda a beijou foi descendo até os peitos e chupou delicadamente os biquinhos, deixando Marisa muito excitada, até chegar a bucetinha e usar a língua pra fazê-la gozar intensamente. Eu olhava aquela cena e me deliciava batendo uma gostosa punheta.


Marisa sentiu que era sua vez de mostrar que era capaz de dar prazer a uma mulher bem mais experiente e foi o que fez. Levou a Gauchinha as nuvens beijando e esfregando a virilha na sua buceta, brincando com a boquinha nos bicos daqueles peitões. Voltou a buceta chupando intensamente o grelinho da Fernanda.
– Você Beija muito gostoso, adoro beijar!  Chupa assim que vou gozar na sua boca…
Eu não aguentava mais de tesão assistindo aquele espetáculo. Aproveitei a posição em que Fernanda estava – de quatro chupando a bucetinha de Marisa – e coloquei meu pau com tudo na bucetinha dela. Estava tão molhadinha que entrou facinho até o fim.
Ficamos um bom tempo naquela foda deliciosa. Marisa chupando a Gauchinha que gozava muito e Eu metendo sem dó nem piedade no cuzinho quente e apertadinho dela.
Para relaxar e refrescar um pouco, Fernanda foi tomar uma ducha rápida. Quando voltou Marisa chupava meu pau. Fernanda se juntou a minha esposinha para me fazer feliz – as duas me chupando!
Antes que eu gozasse Marisa pôs a camisinha no meu pau, que estava duríssimo me deu um beijo e disse:
– Gata senta no pau dele, você vai ver como ele é gostoso!
Fernanda fodia muito, subia e descia na minha rola enquanto Marisa a beijava e chupava os peitos dela.
Certa altura Eu disse para Marisa:
– Fica de quatro que eu quero gozar no seu cuzinho.
– Ai amor, só se a Gauchinha vier por baixo e lamber o meu grelo até eu gozar pelo cuzinho e pela bucetinha.


Fernanda obedeceu e prontamente atendeu ao pedido de Marisa.
– Marisa que tesão, vou gozar!
Ela muito rápida se sentou na minha cara colocando a buceta melada na minha boca!
– Me chupa que quero gozar com a sua língua na minha buceta melada!
Nós três gozamos muito nessa noite! E exaustos fomos para a banheira relaxar.
– Tem horas Ricardo?
– 11 horas!
– Fodemos tanto que nem sentimos o tempo passar. Tenho que ir!
Acompanhei a Gauchinha gostosa até a porta, paguei seu cachê (dinheiro muito bem gasto!), muitos beijinhos de despedida e voltamos para cama sorridentes e satisfeitos.
E assim foi um final de semana inesquecível em Porto Alegre. Até a próxima Fernanda!

20.4.19

MULHERES PREFEREM CHOCOLATE A SEXO

A Unilver fez uma pesquisa em 13 países e chegou a um conclusão inédita: As mulheres consideram o chocolate mais irresistível do que sexo e do que ir as compras. 
A empresa ouviu mais de 3,5 mil mulheres entre 18 e 35 anos da Argentina, Brasil, México, Estados Unidos, Espanha, França, Alemanha, Itália, Inglaterra, Holanda, Austrália, Filipinas e Índia. 
Na listas de prazeres irresistíveis dessas mulheres estão as compras (83,1%), buquê de flores (76,4%) e um bom jantar (75,1%). 
O sexo aparece em quinto lugar, com 73,3% dos votos. 
Na preferência mundial o chocolate aparece em primeiro lugar: Para 83,6% das participantes, o chocolate é uma tentação difícil de resistir.
O melhor mesmo é sexo com chocolate!

18.4.19

CASAL INICIANTE QUER TROCAR DICAS CUCKOLD

Somos casal iniciante Henrique e Paula. Tenho 41 ela 30 anos. Só tivemos duas experiências com mulher.
Venho convencendo minha esposa a fazer minha fantasia de ser cuckold e meter com outros homens na minha frente.
Ela está quase aceitando.
Já fantasia com seus brinquedos chamando o nome de outros homens.
Visitamos duas vezes uma casa de swing infinyt e adoramos. Mais só ficou entre nós e na última vez que fomos lá teve uma mulher fez carinho na Paula por pouco tempo enquanto eu metia com ela na frente de outras pessoas.
Queremos trocar dicas e fotos com casais e cornos.
Bjs
sjiniciantes


15.4.19

NA PRIMEIRA IDA A UMA BOAT SWING FUI FODIDA POR UM ENORME CARALHO

A minha primeira ida a uma boat swing não foi com o meu marido, ele andava em viagens, fui com um casal amigo que me aliciou. Ele ainda hoje ignora minha aventura e, muito menos do que ali se passou. 
Na verdade sempre pensei que apenas iria observar o ambiente, mas havia cerca de um mês que não tinha sexo e para uma mulher de 30 anos, habituada a ter relações sexuais com frequência já estava desesperada e, perante tão excitante ambiente não consegui resistir. 
O casal amigo havia ido para os reservados com outro casal e eu fiquei a sós à mesa. Ao lado estava um casal cujo elemento masculino era um gato mesmo bonito e a esposa era uma elegante morena. Em dado momento a morena levantou-se, chegou junto de mim e perguntou-me se não queria ir para um reservado. Fiquei sem saber o que fazer. Ir com um casal para um reservado era algo que nunca tinha imaginado. Fiquei indecisa, mas olhando para o gatarrão do esposo decidi aceitar. 
Logo que entrarmos no reservado ela abraçou-me, procurando os meus lábios com os dela para me beijar na boca. Nunca tinha beijado uma mulher na boca. Seguidamente começou a despir-se e como eu continuava estática foi ela despojar-me de tudo o que eu tinha vestido. O marido apenas observava e despia-se também. Ela empurrou-me para a cama, abriu-me as pernas, começando a lamber e a beijar-me a cona, fez-me um delicioso minete. Nunca tinha sentido ali uma língua feminina, mas era diferente da língua masculina, ela sabia os pontos certos que dão mais prazer, o que me proporcionou um orgasmo maravilhoso. Depois fui eu a retribuir-lhe. Pela primeira vez provei uma cona, da qual escorria bastante excitação. O marido olhando para nós punhetava um enorme caralho. Depois dela ter tb gozado, beijou-me novamente, para saborear o que havia ficado da sua cona na minha boca. Após esse beijo de língua segredou-me: 
- Agora iras foder com o meu marido porque eu gosto de ver ele foder outra mulher. 
Eu fazia tudo quanto ela pedia. 
- Deita-te de costas, que ele vai para cima de ti. 
Assim procedi! Foi ela a encaminhar, o caralho do marido para ele meter na cona. Aquilo era mais grosso que o do meu marido e como havia mais de um mês que não entrava ali nada custou a entrar. Eu estava tão excitada que nem pensava estar traindo o meu marido, o que acontecia pela primeira vez. Aquele pau dentro de mim fazia-me gemer e gritar de prazer com os orgasmos cruzei as pernas sobre o dorso dele e elevava as ancas para ir mais fundo; desejava mesmo que aquilo não terminasse, mas ouvi ela dizer: 
- Não gozes dentro dela que é para a foderes na posição de quatro e depois meteres-lhe no cuzinho. 
- No cuzinho não, é muito grosso, não vou aguentar! 
- Aguentas sim, com creme aguentas, mas primeiro irás ser fodida na posição de quatro. 
Não sei o que se passava comigo, dispunha a tudo. Debrucei-me sobre a cama e ela encaminhou aquele grande galo para entrar na minha cona, o que fez com numa tão forte estucada que vi as estrelas, pois bateu tão forte no útero que este se deslocou não sei para onde. Com o vai vem que se seguiu voltei a gemer e gritar de prazer: estava mesmo a ser tão gostoso que quando ele puxava eu recuava as ancas para manter sempre o contacto. Mas ao pensar que a seguir iria ser fodida no cuzinho voltei a tremer com receio da grossura daquele pau. Foi ela a aplicar-me o creme, untou bem o buraquinho, metendo um dedo para lubrificar o canal. Depois me disse:
- Agora irás ver que aquentas! 
Como já notas-te a cabeça é menos grossa, irá abrindo caminho para entrar o corpo que é mais grosso e foi ela que encaminhou a anaconda para o meu cuzinho. Mesmo com o creme quando a cabeça entrou dei um grito e pedi que parasse! Fui acostumando à aquele corpo estranho que tentava entrar mas ouvi ela dizer:
- Mete o resto que ela aguenta!
Numa só estucada meteu tudo. Dei um berro porque doeu a valer e senti as bolas baterem nos lábios vaginais. 
Aquilo tinha entrado todo no meu cuzinho, ficando certamente arrombado. Foi ele ainda a dizer goza dentro dela que o pau escorrega melhor. Senti então o meu intestino inundado de esperma que me provocou o ultimo orgasmo. 

13.4.19

COMEDOR CONTA O QUE ROLOU COM MARIDO E A ESPOSA

Comedor de Casais, leitor do SeximaginariuM, enviou relato de uma aventura que rolou com marido a e esposa.
Me chamo Ricardo, 44 anos… Recebi um e-mail de um marido que tinha tesão em ser cuckold, em ver sua esposa dando para outro homem. Me contou que ela, a esposa, já estava convencida, tinha esses tesão também, mas tinha receio, que queria conhecer o comedor antes… E que ele, o marido, estivesse junto. Regras estabelecidas, precisávamos colocar em prática. Após esses contatos iniciais marquei uma conversa com o marido em um shopping de SP. “Bolamos” um plano para eu conhecer a sua esposa: Eu seria um amigo que trabalhava na filial da empresa, que estava de passagem pela matriz e ele iria me convidar para jantar em sua casa.
Data marcada, fui até a casa deles. Fui apresentado a esposa, uma mulher linda, acho que uns 55 anos, em forma, bem cuidada. Depois de bebermos muito vinho e o clima ficar bem descontraído, notei que ela olhava muito para mim, isso foi me dando tesão e fiquei de pau duro. Não tinha mais como disfarçar o volume na calça…. O marido também percebeu que a esposa não tira os olhos do meu pau. Perguntei onde era o banheiro.
– Me acompanhe, eu te mostro o caminho.
Quando ela levantou e se virou de costas, aproveitei e passei por trás dando uma “sarrada” na bunda dela. Percebi que a esposa se arrepiou ao meu toque. O marido assistiu à cena e logo foi avisando:
– Cuidado amor, esse cara tem fama de comedor!
– Verdade?? Comedor? Aí não sei…
– E você quer saber?
A esposa deu um sorriso e piscou para mim! Eu a segurei pelos braços, beijei na nuca, nos ombros, costas…
O marido se aproximou e mandou que eu continuasse, disse que era isso que eles queriam. A esposa ficou surpresa, mas se entregou…
Passei as mãos pelas suas pernas, levantei o vestido, me ajoelhei, puxei a calcinha dela para o lado e comecei a chupar a buceta bem babada. Ela olhava pra baixo e gemia. Puxando ela mesmo a calcinha para o lado em enfiei língua naquela buceta melada, ensopada. Me lambuzei naquele mel delicioso, revezando a língua no grelo e nos grandes lábios, enquanto enfiava dois dedos nela, fazendo-a gozar e estremecer na minha boca.
– Quero esse pauzão na minha boca e na minha buceta!
O marido sentado no sofá, bebia uma taça de vinho, assistia a esposa chupando meu pau e se masturbava.
Não demorou a esposa pediu para ser comida. Coloquei a camisinha e ela sentou no meu pau, levantou as pernas e cavalgou. Tesão sentir minha rola rasgando aquela buceta, enquanto o marido a beijava e chupava seus peitos.
Após umas duas horas de sexo intenso, eu tê-la literalmente arrombado, tratando como puta, fazendo-a gozar algumas vezes, ela disse que estava ardendo, dolorida e queria que eu gozasse. Não resisti e esporrei no seu rosto, boca e seios. Fomos tomar banho e ainda demos mais uma metida!
Depois que fui embora o marido contou a verdade sobre mim. A esposa achou melhor que eu não fosse funcionário da empresa. Me encontrei com este casal outras 4 vezes.
Fico à disposição de casais, experientes ou iniciantes. Se necessário ajudo a convencer e/ou seduzir a esposa.
Deixe contato aqui no blog.
Ricardo
Se você tiver uma história, um conto, como este do nosso leitor, mande para sexi.redacao@gmail.com que publicamos!

11.4.19

CORINTIANO ALUGA ESPOSA PARA COMPRAR INGRESSOS DA FINAL DO PAULISTÃO

Um morador de Guarulhos, na grande São Paulo, fez um anúncio incomum e suas redes sociais. Wellington Machado, de 37 anos, é torcedor roxo do Corinthians e fará de tudo para ver as finais do seu time no Campeonato Paulista contra o São Paulo.
Como está desempregado e sem dinheiro, Wellington, que é casado, resolveu oferecer sua esposa, Michelle de 26 anos, por uma noite em troca de 4 ingressos para os jogos da final, para ele e a esposa, que também é corintiana.
Michelle, casada com Wellington há 6 anos, diz que ficou surpresa com a proposta do marido, mas aceitou sem reclamar, pois pra ela, qualquer sacrifício é válido para fazer seu marido feliz.
Apesar da proposta inusitada, Wellington impôs algumas regras para os homens que queiram participar.
- Não pode ser torcedor do Palmeiras, maior rival do seu time.
- Não pode ser bem dotado, para não estragar sua esposa.
- Máximo de dois homens ao mesmo tempo, nada mais que isso.
A escolha ficará a critério da esposa, que afirmou não gostar de homens afeminados.

10.4.19

UMA MASSAGEM RELAXANTE QUE FAZ GOZAR

Os homens relaxam com garotas de programa.
Porque as mulheres não fazem o mesmo? 
Fazem! No vídeo o cara faz uma massagem relaxante na "mocinha", mete e ela goza gostoso! 

<

8.4.19

ESCREVENDO SOBRE CUCKOLD COM A NUBIA OLIIVER + (@nubiaoliiver)


O que é cuckold?
O termo inglês cuckold vem do inglês cuckoo e faz referência à ave enganada pelo cuco, incuba seus ovos e criar seus filhotes. Na verdade é uma prática no qual o marido permite que sua esposa transe com outro homem (amante comedor) na sua frente ou não, mas com seu consentimento.
Os praticantes do cuckold (marido, esposa e comedor) contam que a mulher atinge alto nível de excitação e prazer ao transar com um estranho com consentimento do marido. E claro, o marido também se excita muito ao ver sua esposa tendo prazer com outro homem.
O prazer da pratica cuckold está na submissão, voyeurismo e humilhação da “perda” da mulher para o homem mais viril, no caso o amante comedor. O cuckold por vezes ajuda a esposa na escolher da roupa e também na procura de parceiros para os encontros dela.


CUCKOLD UM ESTILO DE VIDA QUE DÁ MUITO PRAZER!

O cuckold pode ser dividido em categorias ou no grau de participação do marido no ato sexual da esposa com o comedor:
Relação Fixa: O casal se relaciona comum único parceiro sexual. Ou seja, há uma preferência pela intensidade e envolvimento pessoal com um único homem. A relação do trio pode durar meses ou até anos. Nesta categoria o marido pode estar presente, assistindo, participando ou não. Existem maridos que gostam apenas de ouvir as histórias de suas esposas com o comedor.
Relação com Homens em Orgia Esporádica: O casal prefere organizar uma noite com vários desconhecidos (todos ao mesmo tempo ou um de cada vez) para que haja uma orgia ou ménage masculino a três. Geralmente, não há qualquer tipo de envolvimento pessoal. Daqui derivam fetiches como o “Dogging” (A esposa transa com vários desconhecidos em local público), ou o “Bukkake” (Vários homens gozam no rosto da esposa).
À Distância: O marido libera a esposa, mas não assiste ao ato sexual, apenas fica sabendo depois os detalhes da transa descrita por ela, ou telefona durante a transa de forma que possa ouvir a esposa fodendo com o comedor. Nessa categoria, algumas vezes, nem o comedor fica sabendo que o marido é cuckold. A esposa busca um homem e transa como se fosse adultério real.
Voyeur: O marido assiste a transa da esposa com o comedor, mas, ele não tem qualquer contato físico com nenhum dos dois (esposa e comedor). Em geral são maridos que adoram fotografar e filmar ou só ficar vendo.
Incentivador: O marido não se limita a assistir. Ele gosta de fazer carícias ou segurar a mão da esposa enquanto ela é fodida pelo comedor. Muitas esposas chegam a pedir esse tipo de participação do marido, pois isto aumenta a satisfação delas.
Masoquista: O marido potencializa seu prazer pela humilhação. A esposa ou o amante viram dominadores e, acessórios como algemas, coleira, ganham participação no fetiche. O marido é xingado e às vezes é obrigado a se retirar do local da transa para realizar tarefas humilhantes como comprar camisinha, lavar a louça, etc.
Casto: O marido normalmente utiliza cinto de castidade, não podendo penetrar mais a esposa, ter ereção ou orgasmos.
Masoquista de Contato: O marido sente prazer em ter contato com esposa e o comedor de forma a ser humilhado, abrindo a buceta ou o cuzinho da esposa para receber a rola dele, fazendo oral na esposa ou no comedor pra lubrificá-los, ou mesmo lamber o pau e o saco do comedor enquanto ele come a buceta ou o cuzinho da esposa. Existem casos mais extremos em que o marido gosta de lamber o gozo do comedor vindo de dentro da buceta da esposa. Muitos confundem todas essas ações com homossexualismo ou bissexualismo. O contato entre homens ocorre exclusivamente pela necessidade de humilhação.
Bissexual: Esse é o caso em que realmente o marido é bissexual. O contato entre marido e comedor será total, havendo penetração e em alguns casos beijo na boca. Nesse tipo de relação pode-se dizer que ocorre o menage a tróis masculino real.