9.2.19

EU, MEU MARIDO E O COMEDOR FIZEMOS UM MENAGE TESUDO!

Tenho 29 anos e meu marido também. Somos casados faz cinco anos e estamos juntos há sete. Casei nova, ele também, porém, por ser homem, teve mais experiências sexuais do que eu. Eu só havia transado com ele e com meu ex-namorado, não tinha visto muita rola na vida e sentia falta disso. Faz uns dois anos que começamos a conversar sobre a possibilidade de realizarmos um fetiche – ménage masculino.
Paulo sempre teve muito mais fogo que eu, me come muito bem, mas depois de realizar o tal fetiche – transar com outros caras – me sinto muito mais safada, parece que algo ativa no meu cérebro que fica adormecido quando passamos um tempo sem fazer.
Meu marido fala que sente muito tesão e prazer de ver outro cara me comendo, me beijando e me dando tapas, rs.
A primeira experiência foi em 2016 com um antigo colega que nem imaginava que meu marido “me liberava para meter”. Depois tive três com caras diferentes, com dois deles, fizemos ménage masculino sem dupla penetração. Confesso adorei, mas descobri que prefiro sair sozinha e só contar para ele depois como foi e o que aconteceu!
O mais recente ménage aconteceu faz três semanas. Era sábado, estávamos tomando uma cervejinha para aliviar um pouco esse calor do Nordeste, quando recebi uma mensagem do Mauricio no celular perguntando como estávamos e dizendo que estava com saudades de uma farrinha. Contei para o Paulo, que logo se animou! Dessa vez marcamos de nos encontrarmos na casa do Maurício.
Corremos para tomar um banho e saímos de casa, bem felizes, claro, pois meu marido goza só de assistir o Maurício me preencher toda com seu pau enorme e delicioso. Da para ver na cara dele. Além disso, ele sabe que eu amo sair com outros caras com seu consentimento, ou seja, só alegria!
Chegamos e fui recebida com um selinho do Maurício. Sentamos no sofá, ficamos conversando e tomando uma cerveja, até que o Paulo foi até a cozinha para nos reabastecer. Nesse momento, Maurício me puxou e me deu um beijão, perguntando se eu tinha sentido sua falta e se eu queria chupá-lo. “Claro!”, foi o que consegui responder, aos beijos com aquele gostoso.
“Então chupa”.
Abri a bermuda dele e engoli o máximo que pude do pau delicioso, grande e grosso. Ele tem o maior pau que eu já vi (uns 20 cm) e o mais grosso também! Até mole acho bem grande e grosso.
Quando meu marido voltou com as cervejas, eu estava de joelhos engolindo o pau do Maurício e lambuzando seu saco, uma delícia!
“Ela chupa muito gostoso, chupa com gosto, safada”, era o que o Maurício dizia ao Paulo, que logo se acomodou e ficou assistindo nosso show enquanto batia uma punheta.
Chupei mais um pouco e ele perguntou se eu queria sentar na rola dele. Claro que aceitei! Tirei meu vestido, estava sem sutiã e com uma calcinha fio dental que logo foi ao chão também, fiquei apenas de salto. Sentei no pau do Maurício e comecei a cavalgar, enquanto ele beijava meus seios e apertava minha bunda.
“Rala, sua gostosa!”
“Isso, senta gostoso, você gosta do meu pau, né?”
“Safada!”
Enquanto me comia, Maurício alisava meu grelo com carinho, me deixando louca de tesão!
Nesse momento o Paulo veio mais para perto e abriu meu bumbum para facilitar o movimento gostoso e, claro, para apreciar mais de perto a esposa safada dele sentando no pauzão do colega.
Depois, fiquei de quatro no sofá e o Mauricio veio por trás.
“Empina essa bunda, safada!”
Obedeci e senti seu pau gostoso me preenchendo mais uma vez.
“Chama ele, chupa o pau do teu marido”
Obedeci mais uma vez, o Paulo veio e comecei a chupa-lo gostoso enquanto o Maurício socava forte na minha bucetinha. Estávamos em um ménage maravilhoso, eu levava rola na buceta e chupava o cacete do meu marido que estava realizado, como sempre, em ver e poder participar de tudo aquilo.
A cena estava tão gostosa que não queríamos parar, mas o tesão ficou difícil de segurar. Logo o Maurício anunciou que iria gozar, tirou o pau da minha bucetinha bem molhada e eu fiquei de joelhos, com a boquinha aberta, pronta para receber leitinho. “Não desperdiçou uma gota?”, ele perguntou. “Nenhuma”, respondi.
Então, comecei a chupar o meu marido, que logo gozou gostoso também na minha boquinha. Que delícia!
Mauricio é super gente boa, nos deixou muito à vontade. Foi uma delícia, achei que não daria conta, mas consegui dar para ele bem gostoso… Achei mais tranquilo de dar e chupar o pauzão dele estou pegando o jeito. Mas quando ele mete com força ainda dói, aí tenho que pedir para meter com menos força.
Resumo da noite: Eu tinha duas rolas para mim e como boa menina que sou, aproveitei o máximo!
Espero poder repetir em breve essa noite, já estou cheia de vontade de novo. Da próxima vez quero sentar gostoso no Maurício e depois no meu esposo.
Uma delícia!

Envie seu conto tesudo, seu fetiche, sua história, suas confissões e perversões sexuais para sexi.redacao@gmail.com

9 comentários:

Eroticamente Incorreto disse...

Linkei seu blog e post, pois tb sou fã. Bom retorno.

Abs. do (In)

Unknown disse...

Olá vem no ZAP 021 970455069

Unknown disse...

Como eu faso para partisipa desta festinha.

Helena Santos disse...

Também já fiz várias menage masculina com o meu marido, mas a que mais me marcou foi com um mulato. As anteriores haviam sido com caralhos normais, no entanto com o mulato fiquei com a cona esfolada e o rabinho a sangrar. Ele tinha um pau que mais parecia de cavalo, tanto em comprimento como em grossura, na cona custou-me ao entrar, mas depois foi delicioso o roçar constante de tamanha grossura no
clitóris provocando-me orgasmos duplos e o bater da cabeça no útero era uma dor tão gostosa que eu gemia de prazer. Quando ele meteu no cuzinho é que gritei como uma cabrita! Aquilo não cabia mesmo, foi necessário ir alargando à sua medida enquanto ia entrando. O meu marido ainda me disse para desistir, mas considerava ser para mim uma vergonha, como mulher não aguentar não aguentar o caralho dum mulato no cuzinho.

Um casal anónimo disse...

Somos um casal na faixa dos 40 anos, com 2 filhos de 12 e 15 anos. A minha esposa apesar de quarentona continua no auge do seu apetite sexual, comentando comigo nunca ser tarde para novas experiências. Assim, à cerca de 2 anos decidimos por uma menagem feminina, cuja parceira, escolhida por ela, foi uma jovem de 30 anos. Ambos adora-mos a experiência. Foi verdadeiramente excitante ver como se beijavam mutuamente continuando depois com 69 em que ambas gemiam de prazer. A minha esposa confessou-me depois não ter sentido qualquer ciume enquanto eu fodia a parceira e praticava com ela tb um 69. Isto foi a menagem feminina. Porém à cerca de um ano a minha esposa pediu-me uma menagem masculina, alegando que se eu gostava de ter sexo com outras mulheres, tb ela gostaria de experimentar o pau de outro homem. Não estava preparado para a ver ser fodida por um estranho. Falamos durante meses sobre o assunto, finalmente convenceu-me e, mais ainda, que seria ela a escolher o parceiro. Da minha parte só exigi não ser alguém conhecido. Ela concordou, mas perguntou-me e que poderia fazer com o parceiro e deixar ele fazer com ela. Já que ia entrar em algo por vontade dela, deixei ao seu critério o que lhe desse mais prazer. A minha surpresa foi quando um dia me mostrou a foto de um negro. Disse-me que havia sido num site de acompanhantes e se chamava Miguel. Não sei porque as mulheres brancas tanto gostam de foder com um negro! Então tu queres mesmo que um negro te foda? E porque não? É tb, uma nova experiência. Está bem, tu é que sabes, mas não será em nossa casa. Terá de ser num motel. Sim. O Miguel trata disso. No dia aprazado eu estava mais nervoso do que ela, não sabia qual iria ser a minha reacção ao ver um negro foder a minha esposa. O Miguel comunicou-nos o motel e o numero do quarto e para nós irmos entre as 21h30 e as 22h00 que ele chegaria depois para dar tempo à minha esposa descontrair. O quarto do motel com uma cama redonda, espelhos à cabeceira e no tecto era mesmo convidativo para o sexo e a minha esposa envergando uma longerie vermelha condizia com a cama. Quando o Miguel chegou estava-mos nós na cama, eu já nu excitava a minha esposa. Ele não perdeu tempo, após nos cumprimentar despiu-se também e olhando para mim perguntou? Posso? Foi a minha esposa a fazer sinal que podia juntar-se a nós. Ao ver o Miguel nu segredei para a minha esposa! Tu vás mesmo aguentar aquilo? ESPERO QUE SIM. Além de caralho ser enorme já estava empinado, demonstrando a máxima rigidez. Com o Miguel ainda de pé ao lado da cama este debruçou-se sobre a minha esposa, beijando-a na boca; nem quis ver se ela abriu ou não os lábios. Foi a primeira dor no coração que senti. A dor mais forte veio a seguir quando ela agarrou naquele pau negro e o meteu na boca, embora com dificuldade devido à grossura. Eu já estava a entrar na situação, arranquei-lhe as cuequinhas da lingerie e caí de boca entre as suas pernas. Ela gemia que se fartavam até que me disse; deixa o Miguel ir para aí! Foi um 69 com aquele negro em cima da minha esposa. Fiquei apenas como espectador, ouvindo ela gritar que tinha orgasmos. Ao notar o prazer da minha esposa comecei a sentir maior tesão. Ele não gozou na boca dela para manter o caralho bem rijo. Em dado momento foi a minha esposa a dizer: Miguel, quero que me fodas na posição de 4, enquanto chupo o meu marido. Como não dava jeito sobre a cama, foi no chão que se posicionou, com o meu pau na boca e o Miguel entre as suas coxas pincelou com a cabeça do pau durante minutos os seus lábios íntimos. A minha esposa desesperava mesmo por para sentir aquilo entrar; pois entre os gemidos balbuciou. Mete já que não aguento mais. O meu tesão era enorme ao ver aquele rolo de carne preta ir entrando aos poucos e alargando a cona da minha esposa, iniciando depois um vai vem com ela a gemer e a gritar de prazer com orgasmos duplos. Outras posições se seguiram, a de missionário, em que ela cruzou as pernas sobre o dorso dele para o caralho ir mais fundo. Fodemos até às 2 da manhã, incluindo um DP para grande satisfação da minha esposa.

Um casal anónimo disse...

Somos um casal na faixa dos 40 anos, com 2 filhos de 12 e 15 anos. A minha esposa apesar de quarentona continua no auge do seu apetite sexual, comentando comigo nunca ser tarde para novas experiências. Assim, à cerca de 2 anos decidimos por uma menagem feminina, cuja parceira, escolhida por ela, foi uma jovem de 30 anos. Ambos adora-mos a experiência. Foi verdadeiramente excitante ver como se beijavam mutuamente continuando depois com 69 em que ambas gemiam de prazer. A minha esposa confessou-me depois não ter sentido qualquer ciume enquanto eu fodia a parceira e praticava com ela tb um 69. Isto foi a menagem feminina. Porém à cerca de um ano a minha esposa pediu-me uma menagem masculina, alegando que se eu gostava de ter sexo com outras mulheres, tb ela gostaria de experimentar o pau de outro homem. Não estava preparado para a ver ser fodida por um estranho. Falamos durante meses sobre o assunto, finalmente convenceu-me e, mais ainda, que seria ela a escolher o parceiro. Da minha parte só exigi não ser alguém conhecido. Ela concordou, mas perguntou-me e que poderia fazer com o parceiro e deixar ele fazer com ela. Já que ia entrar em algo por vontade dela, deixei ao seu critério o que lhe desse mais prazer. A minha surpresa foi quando um dia me mostrou a foto de um negro. Disse-me que havia sido num site de acompanhantes e se chamava Miguel. Não sei porque as mulheres brancas tanto gostam de foder com um negro! Então tu queres mesmo que um negro te foda? E porque não? É tb, uma nova experiência. Está bem, tu é que sabes, mas não será em nossa casa. Terá de ser num motel. Sim. O Miguel trata disso. No dia aprazado eu estava mais nervoso do que ela, não sabia qual iria ser a minha reacção ao ver um negro foder a minha esposa. O Miguel comunicou-nos o motel e o numero do quarto e para nós irmos entre as 21h30 e as 22h00 que ele chegaria depois para dar tempo à minha esposa descontrair. O quarto do motel com uma cama redonda, espelhos à cabeceira e no tecto era mesmo convidativo para o sexo e a minha esposa envergando uma longerie vermelha condizia com a cama. Quando o Miguel chegou estava-mos nós na cama, eu já nu excitava a minha esposa. Ele não perdeu tempo, após nos cumprimentar despiu-se também e olhando para mim perguntou? Posso? Foi a minha esposa a fazer sinal que podia juntar-se a nós. Ao ver o Miguel nu segredei para a minha esposa! Tu vás mesmo aguentar aquilo? ESPERO QUE SIM. Além de caralho ser enorme já estava empinado, demonstrando a máxima rigidez. Com o Miguel ainda de pé ao lado da cama este debruçou-se sobre a minha esposa, beijando-a na boca; nem quis ver se ela abriu ou não os lábios. Foi a primeira dor no coração que senti. A dor mais forte veio a seguir quando ela agarrou naquele pau negro e o meteu na boca, embora com dificuldade devido à grossura. Eu já estava a entrar na situação, arranquei-lhe as cuequinhas da lingerie e caí de boca entre as suas pernas. Ela gemia que se fartavam até que me disse; deixa o Miguel ir para aí! Foi um 69 com aquele negro em cima da minha esposa. Fiquei apenas como espectador, ouvindo ela gritar que tinha orgasmos. Ao notar o prazer da minha esposa comecei a sentir maior tesão. Ele não gozou na boca dela para manter o caralho bem rijo. Em dado momento foi a minha esposa a dizer: Miguel, quero que me fodas na posição de 4, enquanto chupo o meu marido. Como não dava jeito sobre a cama, foi no chão que se posicionou, com o meu pau na boca e o Miguel entre as suas coxas pincelou com a cabeça do pau durante minutos os seus lábios íntimos. A minha esposa desesperava mesmo por para sentir aquilo entrar; pois entre os gemidos balbuciou. Mete já que não aguento mais. O meu tesão era enorme ao ver aquele rolo de carne preta ir entrando aos poucos e alargando a cona da minha esposa, iniciando depois um vai vem com ela a gemer e a gritar de prazer com orgasmos duplos. Outras posições se seguiram, a de missionário, em que ela cruzou as pernas sobre o dorso dele para o caralho ir mais fundo. Fodemos até às 2 da manhã, incluindo um DP para grande satisfação da minha esposa.

Marcos Souza disse...

Adoro este Blog, me deixam com tesão Louco.... Tenho 50 anos, solteiro, bem resolvido, bi, adoraria conhecer uma mulher que fosse dominadora, que me fizesse de corninho (cuckold), bem putinho, passivo, dominado, que me comesse gostoso, que me fizesse chupar ela toda melada dos machos, e quem sabe lamber alguns junto dela. Sou muito passivo, na vida do dia a dia sou um homem comum, com trabalho, familia , lado social e amizades, mas no intimo desejo ser a putinha de uma mulher, que me faça de tudo, que viva suas fantasias e desejos comigo, para ter amigos em comum neste mesmo lance... Moro em SC tenho um Blog muito bacana cheio de contos meus https://sexoeamorlivre.blogspot.com/
contatos; mitigado@bol.com.br

Marcos Souza disse...

Adoro este Blog, me deixam com tesão Louco.... Tenho 50 anos, solteiro, bem resolvido, bi, adoraria conhecer uma mulher que fosse dominadora, que me fizesse de corninho (cuckold), bem putinho, passivo, dominado, que me comesse gostoso, que me fizesse chupar ela toda melada dos machos, e quem sabe lamber alguns junto dela. Sou muito passivo, na vida do dia a dia sou um homem comum, com trabalho, familia , lado social e amizades, mas no intimo desejo ser a putinha de uma mulher, que me faça de tudo, que viva suas fantasias e desejos comigo, para ter amigos em comum neste mesmo lance... Moro em SC tenho um Blog muito bacana cheio de contos meus https://sexoeamorlivre.blogspot.com/
contatos; mitigado@bol.com.br

Marcos Souza disse...

Adoro este Blog, me deixam com tesão Louco.... Tenho 50 anos, solteiro, bem resolvido, bi, adoraria conhecer uma mulher que fosse dominadora, que me fizesse de corninho (cuckold), bem putinho, passivo, dominado, que me comesse gostoso, que me fizesse chupar ela toda melada dos machos, e quem sabe lamber alguns junto dela. Sou muito passivo, na vida do dia a dia sou um homem comum, com trabalho, familia , lado social e amizades, mas no intimo desejo ser a putinha de uma mulher, que me faça de tudo, que viva suas fantasias e desejos comigo, para ter amigos em comum neste mesmo lance... Moro em SC tenho um Blog muito bacana cheio de contos meus https://sexoeamorlivre.blogspot.com/
contatos; mitigado@bol.com.br