19.8.15

A CUMPLICIDADE DOS SWINGUERS CASALSÃOPAULO69

Os paulistanos Marcelo, 50 e Marcia 45 anos - casalsaopaulo69 - formam um casal voyeur, com alguma experiência no mundo swing. Começaram no "mundinho da troca de casais” Por interesse do Marcelo. Nosso primeiro contato com o swing foi em casa próxima ao Parque do Ibirapuera. Depois tivemos contatos com varias outras casas em São Paulo, BH e Rio de Janeiro.

LEO: Ser swinger é um "estilo de vida"?
CASALSP69: Não consideramos um estilo de vida, uma vez que entendemos como uma opção sexual.  O estilo de vida seria a liberalidade sexual que o swing permite, ou seja, ele quebra tabu e coloca o casal em outro patamar.

LEO: Essa "adrenalina" toda, apimenta o sexo? Depois dessa "Swingueira" "papai-mamãe" ainda tem graça?
CASALSP69: Achamos que sim, pois tem vezes que temos a necessidade do relacionamento sem tanta adrenalina, ou seja, existe tempo para todos os tipos de sexo. O importante e o casal saber qual a hora que ambos estão, e tentar sincronizar esta necessidade sexual. A cumplicidade e essencial.

LEO: Qual e o limite no swing?
CASALSP69: O limite e aquele que o casal estabelecer. O Marcelo e mais ousado e às vezes vai rápido demais. Tenho que puxar o freio, pois o universo feminino e bem diferente do masculino.


LEO: Já aconteceu algo que não rolou legal, que pegou mal... Ciúmes ou mal estar com outro casal, tipo - esposas inseguras?
CASALSP69: Não, o que acontece muitas vezes e o timing, ou seja, um estar mais excitado e o outro não. aqui vem de novo o universo masculino, que se excita mais, e o feminino que precisa ser excitado.

 LEO: Vocês gostam de homens e mulheres? Separados ou tudo junto e misturado?
CASALSP69: Somos ecléticos, entretanto de um tempo para cá temos feito mais o ménage masculino.

LEO: Sexo tem limite?
CASALSP69: Tem o limite que o casal impor. Sexo e liberdade de expressão e cada casal se satisfaz de um modo.

LEO: Uma fantasia.
CASALSP69: Transar com um travesti.

LEO: Um recado aos Swingers
CASALSP69: Sempre conversar com o parceiro e entender o limite de cada um.

Nenhum comentário: