30.1.18

REALIZEI MEU TESÃO: “PEGUEI” MINHA AMIGA!

Há algum tempo, numa festinha de despedida de solteira, rolou a brincadeira do jogo da verdade… Todas bêbadas, uma das meninas deixou claro que adoraria “me pegar”! No início fiquei assustada, mas, despertou em mim a curiosidade de ficar com uma mulher.
Depois disso, mantive contato com minha amiga e resolvemos “apresentar e colar” as bucetas. Fizemos nossa primeira farrinha na casa dela. Aproveitamos que o marido estava viajando e… Foi simplesmente maravilhoso! Ficamos outras vezes juntas, com os maridos assistindo, mas sem troca de casais. Primeiro a “festinha” era entre nós duas e depois com eles participando. Minha amiga mudou-se de São Paulo. Continuei casada, mas sempre querendo transar com outra mulher.
Convenci meu marido a frequentarmos uma casa de swing… Amei! É uma putaria do caralho! Mas o que procurava ali era encontrar uma gata pra matar a minha vontade de ser chupada novamente. Entrei no grupo de watsapp do clube, coloquei uma foto da minha bunda com uma calcinha minúscula… Isso foi suficiente pra muitos elogios e casais nos convidarem pra sair.
Os comentários de um casal (Carlos e Fran) nas minhas fotos chamou atenção:
– Olha amor! O que acha dessa bunda gostosa?
Fran rapidinho responde:
– Nossa, quero ela para mim! É o meu número.
Eu lendo aquilo logo fiquei sem respirar e a minha PPK acordou!
Logo Fran me chamou no “privado”. Fez algumas perguntas do tipo como você é? Respondi: – Sou morena, cintura fina, bundão (você já viu), seios médios durinhos, cabelos cacheados.
Não passou muito tempo estávamos trocando nudes… Fran me deixou com muito tesão. Ela queria muito me chupar e me “comer” gostoso. Combinamos ir ao swing para nos conhecermos pessoalmente.
Dia marcado fomos ao clube. Em momento algum falei pra ele que eu tinha conhecido a Fran… Como ele vive me cobrando realizarmos essa fantasia, sempre me disse que queria muito ver uma mulher “me pegando” eu achei que seria uma surpresa maravilhosa pra ele.
Para entrar no clube nesta noite a regra era: Se a mulher tirasse a calcinha na entrada o casal não pagaria… Eu vestia uma saia de couro vermelha bem curtinha, um coletinho com um sutiã preto todo transparente. Tirar a calcinha bem pequenininha na portaria foi bem fácil! Tirei e chacoalhei no ar com a cara mais sacana possível! Meu marido não acreditou no que estava vendo!
Entramos nos sentamos no canto da pista no escurinho porque gosto de chupar o pau dele até deixa-lo em ponto de bala… Não demorou muito o casal Carlos e Fran chegou. Ela uma mulher ruiva, magrinha, mas de bunda grande, boca pequeninha, cheirosa… Toda certinha… Eu do lado dela sou um mulherão. O marido dela um negão de 1,90 de altura! Olhamo-nos, minha PPK logo começou a ficar molhadinha… O marido dela já sabia de tudo menos o meu.
Tudo certinho, eu sem calcinha, ele de pau duro, escurinho, mas, para meu desgosto e tristeza da minha PPK meu marido não topou ficarmos os quatro juntos. Terminei a noite assistindo a Fran pegar outra mulher, fez com a outra tudo aquilo que ela disse que faria comigo. Minha raiva foi muita! Muito puta, briguei com meu marido e fomos embora.
Passado alguns dias voltei a conversar com a Fran… Ela também tinha ficado frustrada com o acontecido, mas, nosso tesão em ficarmos juntas era grande e precisávamos matar nossa vontade… Combinamos de sair, marcamos um dia, local e hora e todos os detalhes para fazer acontecer o que queríamos muito.
Encontramos-nos! Ela foi com o Carlos e eu sozinha (nem comentei com meu marido). Fomos direto para o motel. Bebemos, conversamos, rimos. Eu muito nervosa, ansiosa e eles bem tranquilos, colocamos um filminho pornô na teve (sem volume). Carlos nos deixou a vontade e foi para a sauna. Fran começou me beijando na boca, pescoço… Me puxando pelo cabelo. Tirou minha roupa, minha blusa e meu sutiã… Fran não perdeu tempo abocanhou meus bicos durinhos… Começou mamar bem gostoso, usava as mãos, a boca, os dentes, tudo que ela podia pra matar a sede que sentia… Minha vontade era de enfiar ela inteira dentro de mim! Deitei na cama e Fran foi passando a mão devagar entre as minhas pernas… Minha buceta dava “saltos triplos”, minhas pernas tremiam. Ela beijou meu corpo desde os pés até minha bucetinha. Fran passou a língua devagar, saboreando, lambendo, chupando, sugando, eu estava ensopada já gozando na boca dela. Ela colocou um dedinho, foi fazendo movimentos na minha bocetinha e eu me derretendo… Gozei muito! Fran me admirava e me chupava ainda mais! Depois que gozei foi a minha vez. Fiz com a minha amiga ruivinha tudo aquilo que ela fez comigo… Ela também gozou sentindo minha boca carnuda na buceta gulosa dela.
Carlos saiu da sauna e ficou ao nosso lado segurando, olhando e batendo uma punheta. O pau dele (uma rola enorme) estava duro, pulsando, latejando, louco pra entrar em nossas bucetas.
Chamamos ele pra nossa festa… Enquanto Fran chupava minha buceta, Carlos meus peitos… Em poucos segundos eu já tinha gozado de novo! Trocamos de posição. Enquanto eu chupava a buceta da ruivinha gostosa, sentia a enorme rola do Carlos arrombando minha PPK, dolorida de tanto ser chupada. Aquele caralho bem duro me fodia forte. Eu, Fran e Carlos metemos de todas as maneiras! No final ele nos colocou sentadinhas, com a língua pra fora, esperando a porra quentinha do pauzão encher nossas bocas!
Foi maravilhoso! A melhor tarde da minha vida… Com gosto de quero mais!

Um comentário:

Milena Jorge disse...

A minha despedida de solteira, deu numa orgia, em, ke eu gozei como nunca tinha imaginado; e o meu actual marido não faz ideia do que ali ocorreu. Foram as minhas amigas ke tudo organizaram. A primeira surpresa foi quando, surgiram dois acompanhantes masculinos, um branco e um negro, ambos nus e com os pénis erectos, dançando ao som da musica, exibindo-se e oferecendo-nos os seus caralhos. Nunca tinha visto a pica dum negro ao vivo, ke enorme, tanto em comprimento como em grossura, pensei; quanto uma mulher sofreria para algo semelhante entrar nela; mal imaginava eu ke nessa noite iria mesmo aguentar o pau daquele negro. As minha amigas agarravam-nos e algumas metiam-nos na boca. Eu tinha vergonha, havia pegado apenas no do meu namorado, não me atrevia a pegar em nenhum deles, mas quando o negro chegou junto de mim e não só ele como a Célia tanto insistiram, ke lhe peguei, insistiram depois para o meter também na boca. Com as amigas a gritar: mete na boca e, como já estava bastante excitada fechei os olhos e meti mesmo, chupando aquele rolo de carne tão rija como uma pedra. Vi ke uma das amigas estava a ser penetrada, todas a verem como aquilo entrava nela; ao retirar o pau do da minha boca logo ele se dirigiu a uma outra, não tardando a penetra-la; parecendo-me ke o gozo dela era enorme. A Célia junto de mim indagou: estás gostando da tua festa? Deixa ver o gosto ke tem a pica do negro, ke eu ainda não chupei! E sem eu esperar uniu os seus lábios aos meus beijando-me de língua. Desconhecia esta faceta da Célia, eu ke nunca tinha beijado de língua uma mulher confesso ke até gostei. Contudo a Célia não ficou por ali, meteu a mão entre as minhas pernas e, os seus dedos afastaram-me os lábios vaginais, exclamando: estás mesmo molhadinha! Deixa provar o teu suco! Levantou-me o vestido, despiu-me as cuecas, afirmando ke já todas as tinham despido; começando a beijar-me a cona e a chupar-me o clitóris. Foi a vez do acompanhante branco se chegar a mim para eu também chupar, o ke não exitei em fazer. Devido à excitação provocada pelo minete da Célia, excitação aumentou tanto com o bouquete, ke obtive um intenso orgasmo, deixando-me inanimada. Recompõe-te ke a festa é tua, disse a Célia. Tens que dar a cona ao negrão! Vou já chama-lo. Eu gostava de experimentar aquele pausão, mas receava ficar arrombada; e depois o meu marido notar, mas aceitei! Foi na posição de 4 ke a pica negra entrou em mim; teve de abrir o canal à sua medida, sentia-me rasgar; mas depois ke delicia, não sei se entrou tudo, com as estucadas batia fortemente no útero: no vai vem, aquilo roçava-me continuadamente no clitóris e, os orgasmos não paravam; as minha amigas observavam e aplaudiam, eu sentia-me desmaiar, pedi que parasse, necessitava recompor-me de novo; a Célia acarinhava-me, dizendo-me ao ouvido: não vai ficar só por aqui, perguntando-me em seguida! Já deste o cuzinho? SIM, UMA ÚNICA VEZ, AO MEU NAMORADO. Não queres experimentar o chourição do negro? NEM PENSES, AQUILO É MUITO GROSSO, MEU RICO CUZINHO. Eu tenho um lubrificante muito bom. E DP já fizeste-te? O KÊ? DOIS CARALHOS DENTRO DE MIM? Sim um na cona e outro no cuzinho. Eu já fiz e achei uma delicia. FIQUEI CURIOSA. QUAL A POSIÇÃO MAIS CÓMODA? Um deles deita-se de costas sobre a mesa e tu deitas sobre ele, umbigo com umbigo, esse mete na cona e o outro mete no cuzinho. SIM, FAÇO, MAS O CUZINHO É PARA O BRANCO. Experimenta o chourição e se não aguentares mudas. CONCORDEI; COLOQUEI-ME UMBIGO COM UMBIGO SOBRE O ACOMPANHANTE BRANCO, COM ELE METENDO NA CONA, ENQUANTO A CÉLIA UNTAVA O MEU CUZINHO E A PICA DO NEGRO; ESTE METEU UM DEDO E DEPOIS DOIS. EU ESTAVA DISPOSTA A AGUENTAR CUSTASSE O QUE CUSTASSE, POIS ERA OBSERVADA NUM PROFUNDO SILENCIO. SENTI A CABEÇA ROÇAR NAS PREGAS E CHEIA DE TESÃO AGUARDEI O ARROBAMENTO: QUANDO A CABEÇA ENTROU DEI UM GRITO, MAS AGUENTEI E SERREI OS DENTES, AQUILO ERA MUITO GROSSO! PEDI: METE DEVAGAR. COM O NEGRO EM CIMA DE MIM, FOI METENDO E EU COM OS DENTES SERRADO FUI AGUENTANDO, ATÉ KE EM CORO OUVI APLAUDIREM: Já entrou tudo. RESPIREI FUNDO, TINHA AGUENTADO.