13.5.19

PORTUGUESA CONFESSA O PRIMEIRO MENÁGE NA PASSAGEM DO ANO EM ANDORRA

Numa passagem de ano o ambiente proporciona sempre oportunidades para traições conjugais, práticas de ménage ou cedência de um dos cônjuges a outro parceiro. Foi o que aconteceu comigo. 
Tenho 35 anos, casada à 10. Havia já anos que o meu marido dizia sentir tesão ao pensar que podia ver-me dar para outro homem. Eu sentia uma certa curiosidade em experimentar outro pau, pois conhecia apenas o do meu marido. Não tinha, porém, surgido qualquer oportunidade até à passagem de ano 2018/19 na cidade de Andorra. Assim, numa localidade distante, com vários desconhecidos era algo que ficaria apenas entre nós. 
O meu marido deu-me plena liberdade de dançar com quem quisesse, que ele não iria dançar e se houvesse química com alguns dos pares com que dançasse ele não se importava que eu o convidasse para a cama. Fui dançar sem qualquer par, como aliás outras senhoras faziam, não tardou que um cavalheiro pedisse para dançar com ele. Não me neguei, mas não senti qualquer atracção por ele. Outras danças se seguiram com outros cavalheiros até que surgiu um que foi do meu agrado e passei a roçar-me mais por ele. Era espanhol, de nome Romero, de descendência marroquina, aparentava cerca de 30 anos, ao sentir o meu roçar chegou-se ainda mais a mim e perguntou-me? 
-Não és casada? Vi que estavas com um homem à mesa. Não é o teu marido? 
-Sim, é o meu marido, mas ele não se importa e creio que estás livre, sendo assim podes passar a noite no nosso quarto na presença do meu marido. 
Ela sorriu e apenas disse. 
-Quando quiseres podemos ir. 
Disse-lhe o número do quarto, deixamos a pista de dança e dirigi-me para o quarto com o meu marido. Pouco depois chegou o Romero. Eu já me encontrava na cama apenas com cuequinhas vestidas. O meu marido sentado no sofá estava nu e afagava o seu pau bastante teso. O Romero olhando para o meu marido perguntou? 
-Posso? 
Perante o sinal afirmativo do meu marido Romero despiu-se totalmente, olhei para o seu caralho, era bastante avantajado, eu ia finalmente experimentar como era sentir outro pau na cona. Chegando-se a mim logo me deu um beijo de língua, continuando de seguida até aos seios lambendo e chupando os mamilos. Não tardou a chegar às minhas coxas que beijou e lambeu, para me afastar depois as cuecas, beijando, lambendo-me os lábios vaginais e o clitóris. Que orgasmo fabuloso. Despiu-me completamente as cuecas e com o olhar fixo na cona exclamou: 
-Qua linda, tal como a dona. 
Aproximou depois o pau no meu rosto, que eu não hesitei em meter na boca. Puxei-o para cima de mim para um 69, que me provocou mais um orgasmo. Aguardava a todo o momento ser penetrada, o que não tardou, com o Romero no meio das minhas pernas afastadas pincelou durante segundos, que me pareceram horas, até ele meter lentamente, iniciando um delicioso vai vem. 
Várias posições se seguiram, desde a de quatro até eu cavalgar sobre ele e a DP com o meu marido, obtendo tão intensos orgasmos que nunca esquecerei. 
Esta foi a minha melhor passagem de ano. Não sei se alguma vez repetiremos outra aventura semelhante.
M. de Oliveira

2 comentários:

Kique disse...

Gostei desta delicia de texto
Abraço

Kique

Hoje em Caminhos Percorridos - Alerta - Cuidado com alguns produtos Alimentares

Nosso Conto Erótico disse...

Conto bacaníssimo!