10.11.19

AMIGO METEU COM MINHA ESPOSA NO CARRO

Confessei para minha esposa um fetiche que tenho faz tempo: Vê-la metendo com um cara dentro do carro em frente a nossa casa. 
- Com quem?
- Com aquele amigo meu que tem muito tesão por você.
Já tinha conversado com ele e dito que eu e Ana tínhamos uma relação aberta e que tinha tesão em vê-la transando com outro cara.  
Meu amigo é casado e tem receio de ser visto entrando em um motel. Disse a ele que podia rolar no carro mesmo, mas que tinha que ser em frente de casa. Nossa rua é deserta, arborizada, com algumas fabricas, só tem cinco casas. Bem deserto!
Ele achou a ideia uma loucura, mas todos ficamos com muito tesão pela situação.
A noite ele ligou e disse que estava chegando. Deu como desculpa para a esposa que vinha até minha casa para terminarmos um projeto. Ele parou o carro bem debaixo da árvore que combinamos, uma que fica em frente à nossa casa. Um lugar perfeito… inclusive já vimos vários carros parados ali com casais namorando dentro.
Ana estava muito gostosa vestido preto, salto alto, cheirosa, com cabelos ainda molhados. Confesso que nesse dia meu ciúme. Ela me beijou e foi em direção ao portão da varanda... Meu amigo gentilmente abriu a porta do carro e ela entrou. 



Passaram alguns minutos, as portas se abriram e eles foram para o banco de trás. Eu de pau duro, suava frio. Vez ou outra o carro dava uma mexida, fazia um barulho, abafado pelo som em volume médio e eu morrendo de ciúme e tesão.
Meia hora depois a porta se abriu, eles se despediram com um beijo. Saiu do carro e entrou em casa com um sorriso de orelha a orelha. Dava para ver a satisfação em seus olhos. Naquele momento soube que eles tinham realmente transado e que tinha sido muito bom. 
Ela me levou para o quarto, me deu um longo, molhado e delicioso beijo e disse: 
- Aproveitando esse seu pau duro, deite-se que eu vou contar tudo. Foi uma delícia, amor. Nos beijamos logo que eu entrei no carro. Ele começou a me acariciar as coxas, o pescoço. Conversamos e ele disse que é muito grato a você por me liberar para ele. Nos beijamos mais e eu peguei no cacete dele, duro como pedra, grande e grosso.


Abri a calça dele, caí de boca e mamei com muita vontade. Lambi as bolas e deixei o macho louco de tesão. Ele queria retribuir a chupada, mas estava apertado, então fomos para o banco de trás. Lá ele me chupou deliciosamente e tive meu primeiro orgasmo.
Depois disso ele se sentou, colocou o preservativo e eu me sentei no pau dele, amor. Cavalguei gostoso, gemendo naquele pauzão. Quando eu estava quase gozando ele mandou ficar de quatro. Claro que eu fiz o que ele queria.
Ele socou com vontade, segurou na minha cintura e gozou metendo muito, num vai e vem frenético. Fez barulho e eu dei uns gritinhos, amor. Espero que ninguém tenha percebido eu te chifrando!
Nessa hora eu já estava gozando, louco de prazer e tesão. Ela também gozou novamente e foi assim que demos um jeito de sair da rotina, mesmo sem estarmos “juntos”. 
Foi muito bom. Uma experiência única para nós.




Um comentário:

Eduarda Nogueira disse...

O meu marido várias vezes me tem proposto uma relação sexual aberta, mas eu sempre fui mentalizada para lhe ser sempre fiel, atualmente com 34 anos de idade 11 de casada não consigo imaginar-me na cama com outro homem. Também não compreendo, ele tão ciumento que era comigo e agora pressionar-me para que mais alguém me foda. Afirma que assim não existirá traição. Desconheço se já fui traída, mas receio que tal venha a acontecer se não aceitar a sua proposta. É verdade que existem imensos casais com este tipo de relacionamento, terão estes estipulado no ato do casamento que iriam ter uma relação aberta? O que sentirá cada um dos cônjuges ver ou saber quo outro membro do casal em determinado momento está fodendo com outro parceiro? Algum casal nessa situação poderá elucidar-me?