17.3.19

COMI POR ENGANO O CUZINHO DA MINHA CUNHADA

Sou casado há 15 anos. Somados namoro e noivado são 20 anos de relacionamento com minha esposa. Apesar das duas filhas pequenas, temos uma vida sexual bem ativa. 
Sou um cara bem sortudo – minha esposa tem muito tesão no sexo anal ao ponto de raramente fazermos sexo vaginal. Nessas últimas semanas, por causa da nossa rotina de trabalho, eu professor dando aulas dia e noite e minha esposa como médica plantonista, não tem rolado muito sexo.
Numa tarde da semana passada ela me enviou uma mensagem de texto dizendo que estava com muita vontade de dar o rabinho e mesmo se eu chegasse tarde era para acorda-la. Li a mensagem e fiquei com muito tesão, porém era minha noite de aula. 
Cheguei em casa e evitei fazer barulho, o quarto estava bem escuro. Tomei banho e deitei ao lado dela que dormia com a bunda virada para mim e isto é um sinal quando ela quer me dar o cuzinho. Ao alisar a bunda achei estranho pois a calcinha era minúscula (minha esposa usa maior principalmente para dormir), achei que devia ser para me agradar. 
Como estava com muito tesão colei o pau naquele rabo gostoso. Ela jogou a bunda para trás. Muitas vezes, nessa situação, tarde da noite e que iremos trabalhar no dia seguinte, não tem nem preliminar eu meto gozamos e pronto.
Estiquei o braço, peguei o gel e falei para ela:
Fica de quatro que o pau está bem duro, quero foder esse cuzinho. 
Ela devagar se posicionou e colocou a calcinha de lado. Eu lambuzei a pica com gel, encostei a cabeça e fui empurrando devagar para dentro do cu. Sempre coloco devagar antes de começar a meter. O pau foi entrando, mas percebi que estava mais apertado do que de costume e a respiração dela muito ofegante. 
Comecei a socar, tirando a cabeça e enfiando tudo. Achei estranho por que minha esposa se masturba durante a penetração e desta vez não estava. Coloquei a mão na buceta e percebi que estava melada, o que me deu mais tesão, então gozei no fundo do cu. Na hora do jato ela gemeu forte. 
Fui para o banheiro tomar um banho. Percebi que logo em seguida minha esposa entrou e sentou no vaso sanitário. Desliguei o chuveiro abri o box e quase caio para trás: 
Não era minha esposa e sim minha cunhada! Fiquei sem palavras. Ela olhou para mim e tentou explicar.
- Minha irmã foi chamada às pressas para cobrir uma falta no plantão. Ela tentou te avisar, mas o seu celular estava desligado. Pediu para eu vir ficar com as meninas. 
Como estava muito quente e seu quarto tem ar condicionado, tomei banho, fiquei aqui assistindo TV e acabei adormecendo. Vi você chegar, deitar e senti seu pau na minha bunda. Como estou sem transar faz muito tempos acabei deixando. Minha irmã comenta comigo sobre sexo e acho que erradamente fiquei curiosa.
- Por favor vamos botar uma pedra nisso! 
Tinha acabado de comer o cuzinho da minha cunhada e foi muito bom. Ela tem 48 anos e é bem gostosa, uma bunda deliciosa e tem cara de safada.
Ela continuava sentada no vaso… eu estava bem próximo, meu pau estava duro novamente e a poucos centímetros da sua boca. Tirei a toalha e ela fixou os olhos na minha pica. Pegou e enfiou o pau todo na boca começando a chupar bem gostoso, ela diferente de minha mulher gosta de garganta profunda, ao perceber comecei a dominar e introduzir até fazer com que ela engasgasse saindo lagrimas dos olhos. Enquanto ela me chupava meu celular toca: 
-Quieta é a sua irmã! Vou atender... Não pare de chupar!
- Oi amor, sim está tudo bem! Sua irmã e nossas filhas dormindo. Pena você não estar aqui estou morrendo de tesão.
Desliguei o celular e continuei fodendo aquela boca com violência dando tapas fortes na cara dela. Minha esposa tinha contado que ela gostava muito de apanhar com força na hora H. 
Ela foi para cama, ficou de quatro e abriu com a mão o rabo mostrando o cu ainda castigado da foda anterior. Passei novamente o gel e meti tudo e de uma vez só, fui socando e batendo na bunda e na cara.
A putinha gozou várias vezes sem que eu encostasse na buceta. Comi ela em diversas posições e na hora de gozar melei a cara dela toda com minha porra. Nos controlávamos para não fazer muito barulho e acordar minhas filhas.
Tomamos banho e fomos dormir, ela no quarto de hospede claro!
Acordei as 6:30h para trabalhar, ela ao escutar o despertador perguntou se precisava de ajuda para fazer o café. Eu respondi:
- Prefiro um boquete e tomo café na padaria.
Ela mamou magistralmente, na hora de gozar depois de muita garganta profunda ela engoliu tudo. 
Fui para o trabalho e a noite em casa, ainda tive de pegar a patroa, que a princípio achava que eu estava na seca.

Um comentário:

a dama disse...

uau rs