24.3.19

VALE A PENA SER CORNO QUANDO O TESÃO FALA + ALTO

Vou contar o que acontece no meu casamento, os momentos em que minha mulher fodeu com outros caras na minha presença. Não considero isso trair ou cornear, apesar de que quando estamos transando minha mulher sempre me chama de corno manso.
Quando conheci minha mulher, há de vinte anos, ela era noiva e já havia perdido o cabaço com ele. Me contou que o ex a comia muito bem.
Casamos e de vez em quando vinha a minha cabeça a vontade de que ela metesse com ele novamente, de preferência comigo assistindo e participando.
De tanto eu insistir ela resolveu ligar para o ex-noivo. Marcaram um encontro... Ela saiu várias vezes com ele e meteram muito, principalmente dentro do carro. Eu não participava. Ficava em casa, morrendo de tesão, esperando aquela boceta voltar toda arregaçada e melada de porra.
Pedi para ela parar. Senti que ela podia estar se apaixonando (não sei se por ele ou pela pica dele) fiquei com ciúmes, brigamos, aí ela parar de foder com ele. 
Passado um tempo voltamos a fantasiar ela sendo comida por outro na minha frente, dando de quatro e me chupando enquanto estivesse sendo comida. Resolvemos conhecer uma casa de Swing. Um sábado à noite tomamos uns drinques num bar e fomos a uma casa em Moema. Nessa primeira vez ela deu para um cara, tipo rapidinha, dentro de uma salinha escura, onde nem se via quem estava comendo. Eu fiquei junto segurando-a acariciando sua boceta.
Voltamos outras vezes a essa casa. Com o tempo, já mais descontraída, ela passou a se exibir mais, a escolher os machos que iriam meter com ela, passou a dar a boceta nos reservados, satisfazendo meu tesão, de vê-la de quatro sendo comida enquanto chupava meu pau. 
Houve uma noite em que ela se acabou, dando para seis caras diferentes, saindo de lá com a boceta ralada, inchada, de tanto levar pica. 
Nessa tantas vezes em que fomos a esta casa de Swing a única coisa que fiz foi tocar algumas bocetas e, uma vez, enquanto minha mulher era comida, fui punhetado, até gozar muito, pela acompanhante do cara que fodia minha mulher. 
Apesar de não te comido ninguém, o que mais me satisfaz é ver minha mulher rebolando, gozando em outra pica. Sem contar que, depois, ainda, eu como ela com um tesão que não é normal, deixando aquela boceta esfolada mais arrebentada ainda.
E assim vamos levando a vida. 
O que ela está querendo agora e estamos amadurecendo a ideia é irmos a um motel com um outro cara e lá, mais sossegadamente, ela poder desfrutar de tudo o que for possível.

Tem alguma experiência ou estoria semelhante? envie para o SeximaginariuM

3 comentários:

Anônimo disse...

É preferível ser corno manso do que do o ser e não saber, como acontece com maioria dos homens, pois é certo que a maioria das mulheres, aquelas que só conheceram o caralho dos maridos, têm a curiosidade em experimentarem outros, embora tenham vergonha de o confessar. No meu caso, tenho 35 anos e a minha esposa 33, casados à 10 e logo após os primeiros 3 anos de casados comecei a fantasiar com a minha esposa e a segredar-lhe ser outro homem que a estava fudendo, notando que ficava mais excitada e os seus orgasmos eram mais rápidos e intensos; até que lhe perguntei se tinha desejo de experimentar outro caralho, uma vez que eu havia sido o seu único namorado. Disse-me que não e, nunca teria coragem de me trair. Entretanto comecei a imaginar como seria ver outro homem em cima dela e ela gemendo de prazer debaixo dele e, com estes pensamentos ficava cheio de tesão; até que certo dia, quando lhe segredava que era outro homem que a fudia e, notando a maior excitação nela, perguntei-lhe qua se fosse com meu consentimento e até na minha presença ela aceitava ir para a cama com outro homem. Não sei se por estar tão excitada a sua resposta foi se eu realmente não me importava de ela experimentar outro caralho pois apenas o meu tinha entrado nela e tinha curiosidade em saber se todos provocavam o mesmo prazer. Disse-lhe que concordava desde que não com um nosso conhecido, mas ela condicionou que teria de ser alguém do seu agrado. Recorremos ao site de acompanhantes não profissionais, escolhendo homens casados, na faixa dos 30 anos, que desejassem dar uma facadínha no matrimónio. O primeiro que entrevistamos não agradou, mas à segunda foi de vez. Tinha 29 anos e chamava-se Leonel. Não o levamos para nossa casa mas sim para um motel. Apesar de eu sentir tesão não me foi fácil pensar que a minha esposa ia ser fudida por outro homem e quando já ambos nus, ele começou a beija-la na boca, senti realmente alguns ciumes: mas ao ouvir os seus gemidos quando os beijos chegaram aos mamilos, ao umbigo e ao meio das suas pernas, o prazer que ela demonstrou, atenuaram os meus ciumes e, mais ainda quando ela puxava a cabeça dele contra si própria, como se desejasse que ele entrasse na sua intimidade: mas o auge do meu tesão foi quando vi aquela verga ir entrando na cona, com ela gemendo e gritando de prazer. Esta foi a nossa primeira aventura, o que normalmente repetimos todos os meses pelo menos uma vez, sempre com diferentes parceiros. A minha esposa já experimentou mais de 30 caralhos. O ultimo foi com um mulato, bastante difícil para ela aguentar aquela tora! Senti dó dela, mas foi o que me deu mais prazer, a mim e depois a ela. Ver aquele tição negro ir alargando a cona da minha esposa, com ela gritando que era muito grosso, que não aguentava, jamais esquecerei, mas ela aguentou mesmo, porque depois de entrar todo movimentava as ancas debaixo dele e cruzava as pernas sobre o seu dorso com se desejasse que entrasse mais fundo. Afirmou depois que orgasmos obtidos tinhas sido os mais maravilhosos Embora tivesse ficado com a cona esfulada já disse que quer repetir com outro semelhante.

m4rkus disse...

Na minha opinião todo marido, noivo ou namorado que tenha uma mulher gostosa,puta e insaciável na cama, tem que dividir com COMEDORES da sua região 👍🏾
Sou de guarulhos sp. Moreno, ROLUDO e safado. Comedor de casadas, noivas e namoradas de corno 😈🤘🏾

m4rkus3000@gmail.com

namorado liberal disse...

Essa vontade de compartilhar namorada com outros homens cresce a cada dia !