8.4.19

ESCREVENDO SOBRE CUCKOLD COM A NUBIA OLIIVER + (@nubiaoliiver)


O que é cuckold?
O termo inglês cuckold vem do inglês cuckoo e faz referência à ave enganada pelo cuco, incuba seus ovos e criar seus filhotes. Na verdade é uma prática no qual o marido permite que sua esposa transe com outro homem (amante comedor) na sua frente ou não, mas com seu consentimento.
Os praticantes do cuckold (marido, esposa e comedor) contam que a mulher atinge alto nível de excitação e prazer ao transar com um estranho com consentimento do marido. E claro, o marido também se excita muito ao ver sua esposa tendo prazer com outro homem.
O prazer da pratica cuckold está na submissão, voyeurismo e humilhação da “perda” da mulher para o homem mais viril, no caso o amante comedor. O cuckold por vezes ajuda a esposa na escolher da roupa e também na procura de parceiros para os encontros dela.


CUCKOLD UM ESTILO DE VIDA QUE DÁ MUITO PRAZER!

O cuckold pode ser dividido em categorias ou no grau de participação do marido no ato sexual da esposa com o comedor:
Relação Fixa: O casal se relaciona comum único parceiro sexual. Ou seja, há uma preferência pela intensidade e envolvimento pessoal com um único homem. A relação do trio pode durar meses ou até anos. Nesta categoria o marido pode estar presente, assistindo, participando ou não. Existem maridos que gostam apenas de ouvir as histórias de suas esposas com o comedor.
Relação com Homens em Orgia Esporádica: O casal prefere organizar uma noite com vários desconhecidos (todos ao mesmo tempo ou um de cada vez) para que haja uma orgia ou ménage masculino a três. Geralmente, não há qualquer tipo de envolvimento pessoal. Daqui derivam fetiches como o “Dogging” (A esposa transa com vários desconhecidos em local público), ou o “Bukkake” (Vários homens gozam no rosto da esposa).
À Distância: O marido libera a esposa, mas não assiste ao ato sexual, apenas fica sabendo depois os detalhes da transa descrita por ela, ou telefona durante a transa de forma que possa ouvir a esposa fodendo com o comedor. Nessa categoria, algumas vezes, nem o comedor fica sabendo que o marido é cuckold. A esposa busca um homem e transa como se fosse adultério real.
Voyeur: O marido assiste a transa da esposa com o comedor, mas, ele não tem qualquer contato físico com nenhum dos dois (esposa e comedor). Em geral são maridos que adoram fotografar e filmar ou só ficar vendo.
Incentivador: O marido não se limita a assistir. Ele gosta de fazer carícias ou segurar a mão da esposa enquanto ela é fodida pelo comedor. Muitas esposas chegam a pedir esse tipo de participação do marido, pois isto aumenta a satisfação delas.
Masoquista: O marido potencializa seu prazer pela humilhação. A esposa ou o amante viram dominadores e, acessórios como algemas, coleira, ganham participação no fetiche. O marido é xingado e às vezes é obrigado a se retirar do local da transa para realizar tarefas humilhantes como comprar camisinha, lavar a louça, etc.
Casto: O marido normalmente utiliza cinto de castidade, não podendo penetrar mais a esposa, ter ereção ou orgasmos.
Masoquista de Contato: O marido sente prazer em ter contato com esposa e o comedor de forma a ser humilhado, abrindo a buceta ou o cuzinho da esposa para receber a rola dele, fazendo oral na esposa ou no comedor pra lubrificá-los, ou mesmo lamber o pau e o saco do comedor enquanto ele come a buceta ou o cuzinho da esposa. Existem casos mais extremos em que o marido gosta de lamber o gozo do comedor vindo de dentro da buceta da esposa. Muitos confundem todas essas ações com homossexualismo ou bissexualismo. O contato entre homens ocorre exclusivamente pela necessidade de humilhação.
Bissexual: Esse é o caso em que realmente o marido é bissexual. O contato entre marido e comedor será total, havendo penetração e em alguns casos beijo na boca. Nesse tipo de relação pode-se dizer que ocorre o menage a tróis masculino real.

8 comentários:

Anônimo disse...

Já tive o prazer de ver minha esposa levando pica bem grande na buceta bem na minha cara di quebra ainda ganhei uma gozada na cara e na boca foi muito bom nem me importei com o que ia pensar o comedor dela aproveite o momento

Prazeres carnais disse...

Nunca vi, mas só de imaginar, o tesão já cresce!

Nosso Conto Erótico disse...

Parabéns pela abrangência da página!!! Bom conteúdo resulta em seguidores fiéis!!!!!

NÚBIA ÓLIIVER disse...

Ameiiiiii

Anônimo disse...

Já postei em outro comentário sobre ser corno e acredito que me encaixo perfeitamente aqui..deixei ela transar com outros homens mas nunca fui junto.
Comprava as langerisl sexy e incentivava ela a sair..me encontrava com ele logo após a transa e eu chupava ela todinha..ela adorava ver o cara se masturbando pra ela antes se penetrala. O cara chamava Osvaldo e tinha uma rola bem grossa. O mairo prazer dela era ficar de quatro e ser socada com a calcinha de ladinho
.um dia saiu com outro cara super dotado , ela me contou que foi a maior rola que ela já viu..era desconfortável até pra sentar no cara..algumas transa depois ela adorava e.me disse que se adaptou a aquela rola mas a preferência sempre foi a do Osvaldo..era grossa
Eu tinha um consolo de uns 16 cm e me masturbava usando as calcinhas com qual ela tinha dado..
Paramos mas estou tentando fazer ela voltar.. casado49@outlook.com

a dama disse...

Uau... que legal hein, parceria chique. Fiz um post sobre conselhos para homens que querem incentivar a esposa a convidar outra mulher para o sexo, penso que os mesmos se aplicam a essa situação. Bjos

casal mg put4ria disse...

Muito esclarecido, eu como namoroado adoro esse fetiche.
Nas categorias destaco que to mais pra À Distância, Voyeur, e parceiro fixo pra ela. *mas querendo encontrar novos machos pra ela. E ela ama essa vida !

Emanuel Tiago disse...

Quando recentemente falei com a minha esposa que não me importava de a liberar imaginou eu ter enlouquecido! A sua reação foi: consulta um psiquiatra porque não acredito que tua cabeça esteja regular bem. Ainda recordo que poucos anos após o nosso casamente trocamos impressões sobre esse sistema de união e afirmas-te ser algo que nunca aconteceria connosco. Era impensável para ti aceitares que outro homem me comesse.
Nessa época, sendo eu mais nova, havia em mim o espirito de aventura e seria também mais desejada, o que não acontecerá com os meus 36 anos atuais.
Sim, recordo-me de tudo isso, nessa época pensava assim; não imaginava que aceitasses um caralho diferente entrando em ti e como julgo que nunca me traíste desejo dar-te essa oportunidade, caso estejas de acordo, pois tenho todo o gosto que experimentes um caralho diferente, sentires o prazer que tal novidade proporciona numa mulher. Aconteça o que acontecer garanto que o meu amor por ti nunca será minimamente afetado; e tenho notado que apesar dos teus 36 anos és bastante cobiçada por muitos homens, não haverá portanto a minima dificuldade em teres parceiros disponíveis.
Quando existe um verdadeiro amor nunca é tarde para proporcionar ao ente querido o prazer que ele poderá ter imaginado ao longo dos anos.
Meu amor, sempre sonhei como seria esse prazer, especialmente com um negro, pois invejo bastante as sortudas que se relacionam sexualmente com eles.
Confesso ser uma fantasia que tenho desde à muito, mas juro pela saúde da nossa filha que nunca te traí, embora algumas vezes estivesse tentada e com boas oportunidades.
Uma vez que te prontificas liberar-me peço que me concedas tempo para pensar, é uma decisão que não se deve tomar de ânimo leve. No atual momento não estou preparada para me entregar a outro homem, por mais que este seja do meu inteiro agrado.
Meu amor, a nada te forçarei, pensa e repensa o tempo que considerares necessário. A escolha dos parceiros será sempre tua, pois a finalidade sentires o máximo prazer e gozares quanto possível com o parceiro preferido.