13.4.19

COMEDOR CONTA O QUE ROLOU COM MARIDO E A ESPOSA

Comedor de Casais, leitor do SeximaginariuM, enviou relato de uma aventura que rolou com marido a e esposa.
Me chamo Ricardo, 44 anos… Recebi um e-mail de um marido que tinha tesão em ser cuckold, em ver sua esposa dando para outro homem. Me contou que ela, a esposa, já estava convencida, tinha esses tesão também, mas tinha receio, que queria conhecer o comedor antes… E que ele, o marido, estivesse junto. Regras estabelecidas, precisávamos colocar em prática. Após esses contatos iniciais marquei uma conversa com o marido em um shopping de SP. “Bolamos” um plano para eu conhecer a sua esposa: Eu seria um amigo que trabalhava na filial da empresa, que estava de passagem pela matriz e ele iria me convidar para jantar em sua casa.
Data marcada, fui até a casa deles. Fui apresentado a esposa, uma mulher linda, acho que uns 55 anos, em forma, bem cuidada. Depois de bebermos muito vinho e o clima ficar bem descontraído, notei que ela olhava muito para mim, isso foi me dando tesão e fiquei de pau duro. Não tinha mais como disfarçar o volume na calça…. O marido também percebeu que a esposa não tira os olhos do meu pau. Perguntei onde era o banheiro.
– Me acompanhe, eu te mostro o caminho.
Quando ela levantou e se virou de costas, aproveitei e passei por trás dando uma “sarrada” na bunda dela. Percebi que a esposa se arrepiou ao meu toque. O marido assistiu à cena e logo foi avisando:
– Cuidado amor, esse cara tem fama de comedor!
– Verdade?? Comedor? Aí não sei…
– E você quer saber?
A esposa deu um sorriso e piscou para mim! Eu a segurei pelos braços, beijei na nuca, nos ombros, costas…
O marido se aproximou e mandou que eu continuasse, disse que era isso que eles queriam. A esposa ficou surpresa, mas se entregou…
Passei as mãos pelas suas pernas, levantei o vestido, me ajoelhei, puxei a calcinha dela para o lado e comecei a chupar a buceta bem babada. Ela olhava pra baixo e gemia. Puxando ela mesmo a calcinha para o lado em enfiei língua naquela buceta melada, ensopada. Me lambuzei naquele mel delicioso, revezando a língua no grelo e nos grandes lábios, enquanto enfiava dois dedos nela, fazendo-a gozar e estremecer na minha boca.
– Quero esse pauzão na minha boca e na minha buceta!
O marido sentado no sofá, bebia uma taça de vinho, assistia a esposa chupando meu pau e se masturbava.
Não demorou a esposa pediu para ser comida. Coloquei a camisinha e ela sentou no meu pau, levantou as pernas e cavalgou. Tesão sentir minha rola rasgando aquela buceta, enquanto o marido a beijava e chupava seus peitos.
Após umas duas horas de sexo intenso, eu tê-la literalmente arrombado, tratando como puta, fazendo-a gozar algumas vezes, ela disse que estava ardendo, dolorida e queria que eu gozasse. Não resisti e esporrei no seu rosto, boca e seios. Fomos tomar banho e ainda demos mais uma metida!
Depois que fui embora o marido contou a verdade sobre mim. A esposa achou melhor que eu não fosse funcionário da empresa. Me encontrei com este casal outras 4 vezes.
Fico à disposição de casais, experientes ou iniciantes. Se necessário ajudo a convencer e/ou seduzir a esposa.
Deixe contato aqui no blog.
Ricardo
Se você tiver uma história, um conto, como este do nosso leitor, mande para sexi.redacao@gmail.com que publicamos!

2 comentários:

Biografias eróticas disse...

muito bom

https://www.biografiaseroticas.com/2019/04/dialogos-passados-de-irmaos-entendidos.html

Um casal anónimo disse...

O sexo a três é uma fantasia não só de muitos homens como tb de muitas mulheres, e normalmente com dois homens, embora recusem admitir que têm essa fantasia. Eu tinha essa fantasia desde solteira, como seria ter 2 homens a dar-me prazer, mas não me atrevia a confessar ao meu namorado, actualmente meu marido, aquilo que eu imaginava ser excitante. Após o casamento continuei a ocultar-lhe durante anos a minha fantasia. Até que numa certa noite de amor resolvemos ambos confessar um ao outro as nossas fantasias eróticas. Entre as dele, era estar na cama com duas mulheres. Ao ouvir isto de imediato lhe disse! E se eu estiver também com dois homens? Ele ficou tão surpreendido que exclamou. O quê? Tu com dois homens na cama? Sim, se tu te imaginas com duas mulheres e isso de excita, porque não haverei eu de me imaginar também com dois homens? Mas excitas-te mesmo imaginando que tens dois homens a foder-te? Sim excito-me, é algo que gostaria ainda de experimentar. Bem não falamos mais nisso, continuamos apenas com as nossas fantasias, mas comprou um vibrador que eu alternava, metendo no cuzinho quando ele ele metia na cona e outras vezes o inverso. Vários meses se passaram e sempre que ele notava eu estar mais excitada perguntava-me? Estás fantasiando que tens dois homens aqui na cama? Sim, seria muito diferente do que é com o vibrador. As nossas fantasias continuaram durante anos, até o meu marido me confessar que sentia tesão imaginando que estava a ver o pau de outro homem ir entrando na minha cona. Fiquei radiante porque via ser possível concretizar a minha remota fantasia aos 35 anos de idade. Passamos a falar abertamente no assunto. O meu marido participaria tb e, não haveria vexames, nem da minha parte nem da terceira pessoa. Escolher alguém conhecido seria arriscado e vergonhoso para ambos. Com desconhecidos, sem saber nada dele, além de ser igualmente perigoso poderia não existir química que provocasse o prazer desejado, optamos portanto ver num site de acompanhantes alguém que fosse de inteiro agrado. Escolhemos primeiro através de foto, depois marcamos e efectuamos encontros, que fomos excluindo os candidatos por motivos diversos e só à quinta tentativa houve um que satisfez. Tinha 28 anos de nome Luis. Havia visto a foto dele nu e com erecção, uma das razões porque foi escolhido. Fomos passar a noite num hotel. Eu, apesar de ser algo que à muito desejava tremia, não sei se de excitação ou vergonha de pela primeira vez ir abrir as pernas para outro homem me foder. Foi o meu marido já nu, a despir-me e levar-me para a cama, beijando-me continuadamente. Com o Luis também já nu observei então o pau que ele tinha, mas que caralho tão grosso e comprido, aquilo ia mesmo satisfazer-me. Comigo já deitada de costas o meu marido chamou o Luis e indicou lhe o meio das minhas pernas, que eu própria abri porque escorria de tesão. O Luis não se fez rogado, começando a lamber e beijar o interior das minhas coxas, aproximando-se depois com os lábios e a língua no clitóris e nos lábios exteriores da cona Que delicia sentir o meu marido beijar-me de língua e o Luis no meio das minhas pernas lambendo e beijando-me a cona. Disse para o meu marido; afasta-te um pouco para ele meter o pau na minha boca enquanto sinto a sua língua onde está. Que delicioso 69 e que grande orgasmo obtive. Estava deliciada com tudo aquilo que sentia. Mesmo com a boca cheia lhe disse! Não chupes mais e mete já aí isto que tenho na boca. De imediato se virou, colocando em cima de mim, beijando-me de língua, mas não meteu logo, roçava com aquilo na cona, deixando-me desesperada de desejo. Fui eu a dizer-lhe: mete já, não me faças sofrer mais. Foi metendo lentamente, com o meu marido a ver e eu gemendo de tanto gozar. Não irei contar os orgasmos e tudo quanto se passou naquela noite nem as diversas posições em que fui fodida, não faltando a DP, o que mais difícil para mim, pois foi o Luis a meter no cuzinho e o pau dele era muito mais grosso. Dormimos os resto da noite comigo no meio dos dois. Já temos repetido, mas sempre com uma terceira pessoa diferente.